Guia da Eurocopa 2016 - Parte 2

GRUPO D: 

Espanha: Apostando em jogadores mais novos, como Bartra, Bellerín, Koke, Morata e Vázquez, além de alguns veteranos em boa fase, casos de Aduriz, Soriano, Nolito e Juanfran, o técnico Del Bosque deixou de convocar estrelas, entre elas Diego Costa, Juan Mata Gabi, Isco, Fernando Torres, Javi Martínez e Cazorla. O treinador do elenco espanhol ainda teve a perda de Carvajal, que sofreu uma lesão na final da Champions League. A "Fúria" ainda é muito forte, e pode ser considerada uma das favoritas, mas com certeza não é a mesma de quando tinha Xavi, Xabi Alonso, Villa, Puyol e cia. Pelos jogadores convocados, acredito que a característica de ficar tocando a bola incansavelmente vai mudar um pouco, tendo mais objetividade nas investidas ofensivas.  


República Tcheca: Líder e classificado com antecedência em seu forte grupo nas eliminatórias, que contava com Holanda, Turquia e Islândia, também vai encarar um duro desafio neste grupo D. As estrelas do time ainda são os experientes Petr Cech, Kadlec, Plasil, Lafata e Rosicky. A equipe tem um estilo de jogo baseado na força física, levando vantagem nas disputas corpo a corpo. Costuma marcar muitos gols, mas também tomar, não tendo aptidão defensiva como a maioria das menores seleções europeias. Ao meu ver, briga com a Turquia por uma vaga como terceiro colocado. 


Turquia: Com um elenco experiente, porém não velho, Fatih Terim não teve problemas com lesões e conseguiu convocar os melhores jogadores possíveis para seu país. Assim como a Seleção Tcheca, a Turquia é uma equipe de muita força, mas com um meio de campo mais criativo. Os destaques do time são: Arda Turan, Çalhanoglu, Sahin e Yilmaz.


Croácia: Após a decepção no Mundial de 2014, a Seleção Croata quer fazer uma boa campanha nesta Euro. Há anos é o país descendente da Iugoslávia que mais revela craques e jogadores habilidosos, tanto é que seus três meias titulares jogam no Real Madrid (Modric e Kovacic) e Barcelona (Rakitic). A maior surpresa foi Halilovic ficar de fora da lista da Croácia, já que vinha sendo convocado regularmente e teve uma boa temporada no futebol espanhol. Se a equipe conseguir aplicar em campo seu potencial, tende a ser a segunda colocada do grupo ou até mesmo a líder.


GRUPO E:

Bélgica: A Seleção revelação dos últimos quatro anos na Europa, terá a grande chance de mostrar seu valor em uma competição grande, já que na Copa do Mundo de 2014 não conseguir ser a mesma equipe que terminou as eliminatórias invicta e deu shows. Wilmots teve uma grande perda, a lesão de seu capitão, o zagueiro Kompany, mas mesmo assim o grupo continua muito forte, e deve estrear com esta escalação: Courtois, Denayer, Alderwelreld, Vermaelen e Vertonghen; Fellaini, Witsel e De Bruyne; Hazard, Mertens e Lukaku. Tem time pra ser campeã e vai enfrentar um duro desafio na primeira fase, vamos ver como os atletas se saem.


Itália: Possivelmente este é o pior elenco da história da Seleção Italiana, tetra campeã mundial e que também já venceu a Eurocopa. Seus melhores jogadores envelheceram, e poucos jovens têm o sucesso dos veteranos. Pirlo, que "mandava" no meio de campo da equipe Azzurra, foi cortado por Conte, assim como Balotelli. Os maiores talentos do time são Buffon, Chiellini, De Rossi, Canderva e Insigne. Três brasileiros integram o elenco italiano: os meias Jorginho e Thiago Motta, assim como o atacante Éder. Por ter uma "camisa pesada" pode crescer na segunda fase, mas primeiro terá que encarar o "grupo da morte".


Irlanda: "Patinho feio" do grupo E, também não pode ser considerada uma fraca seleção. Harry Arter, que viveu uma boa temporada na Premier League, foi o único problema de lesão para o técnico O'Neill, que decidiu barrar o bom meia Gibson. Os "intermináveis" Given e Robbie Keane, foram convocados, e o atacante irlandês deve ser titular ao lado de Long. A equipe possui um bom sistema defensivo, por isso fique de olho no zagueiro Duffy e no lateral Coleman, são ótimos jogadores.


Suécia: Mesmo com alguns bons jogadores, como o goleiro Isaksson, os meias Kallstrom e Larsson, e o atacante Guidetti, a Seleção Sueca continua sendo Ibra e mais 22 atletas. O brilhante atacante é a referência técnica e o líder do grupo, chamando a responsabilidade nos jogos. Poucos meninos campeões da euro sub-21 foram aproveitados, pois a maioria estará se preparando para as Olimpíadas. Acredito que a Suécia brigará com a Irlanda por uma terceira vaga no grupo.


GRUPO F:

Portugal: Com uma nova "safra" de bons jogadores, como Renato Sanches, Danilo Pereira Raphael Pereira e André Gomes, e atletas mais experientes em boa fase, como Quaresma, João Moutinho, Bruno Alves, Pepe, Ricardo Carvalho, Vieirinha e Éder, o melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, ganha boas parcerias para enfim Portugal conquistar uma grande competição. A força ofensiva de Portugal vai se mostrar ao longo da competição, pois é uma equipe que joga com pontas velozes e habilidosos, meias que pensam rápido e com CR7 se movimentando e finalizando no ataque. Vejo a Seleção Portuguesa como uma das candidatas ao título. 


Áustria: Sensação de seu grupo na eliminatórias, terminou invicto, com nove vitórias em dez partidas. Este é o melhor momento da Seleção Austríaca, que tem a maioria de seus jogadores espalhados pelas melhores ligas da Europa, como é caso do goleiro Lindner, do capitão Fuchs, dos zagueiros Prödl e Wimmer, do lateral e craque do time Alaba, dos meias Harnik, Junuzovic e Garics, além dos atacantes Janko e Arnautovic. O time é eficaz na marcação e bom na criatividade, tendo ainda dois bons finalizadores. Esta é minha aposta para surpresa da competição.


Islândia: O grande trunfo para conquistar esta inédita e histórica vaga, foi vencer as duas partidas contra a poderosa Holanda. Apesar destes jogadores fazerem história, classificando seu país para a Euro, para mim a Seleção Islandesa vai ser o "saco de pancadas" da competição. Possui alguns jovens que podem ter futuro, mas seu ponto forte ainda são os mais veteranos, como Sigurdsson, Arnason, Hallfredsson e Gudjohnsen. 


Hungria: É um pouco mais forte do que a Islândia, mas também é uma fraca seleção. A sorte destas duas equipes, é que vão se enfrentar e se não tomarem goleadas, a vitoriosa no confronto tem grandes chances de passar de fase. Dzsudzsák, capitão e craque do país, é a alma do time, se ele não está bem, dificilmente a Hungria vence. A baixa faixa etária do grupo pode ser o trunfo para conseguir avançar para às oitavas.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: