Seleção da Décima Oitava Rodada do Brasileirão 2015

1 - Martin Silva (Vasco): Apesar da derrota, fez grandes defesas, evitando uma goleada santista. Ainda defendeu um pênalti de Ricardo Oliveira. Nota: 8,5.

2 - Victor Ferraz (Santos): Teve boa participação no ataque, gerando oportunidades de gols. Marcou um belo gol e garantiu a vitória santista. Nota: 8.

3 - Bruno Aguiar (Joinville): Foi um "monstro" na defesa, ganhando praticamente todas as divididas e cortes. Ainda marcou o segundo gol do time. Nota: 9.

4 - Geromel (Grêmio): Multiplicou-se em campo, ocupando os espaços na defesa do Tricolor. Marcou muito bem, levando a melhor nas antecipações e nos cortes. Fez a bola pouco chegar em Thiago Ribeiro e Pratto. Nota: 8,5.

5 - Breno (São Paulo): Jogando em uma função diferente, foi brilhante. Desarmou, driblou, deu bons passes e marcou muito bem. Além de tudo, ainda "sofreu" o pênalti que Rogério converteu. Nota: 8. 

6 - Gílson (Ponte Preta): Muita intensidade. Atacou com frequência, levando perigo a cada subida. Deu a assistência para o gol de Borges. Na defesa, foi excelente, já que parou o forte do time do Avaí, as jogadas de Nino Paraíba. Nota: 9.

7 - Emerson Sheik (Flamengo): Assumiu a responsabilidade de decidir o jogo para o Mengão. Conduziu bem a bola, deu bons passes e dribles, além de maracar um dos gols. Nota: 8.

8 - Jadson (Corinthians): Foi o cérebro do time, dando bom passes e lançamentos precisos, como no gol contra de Samuel Xavier. Marcou também um de pênalti. Nota: 8,5.

9 - Henrique Almeida (Coritiba): Com muita movimentação, confundiu a defesa palmeirense. Marcou os dois gols da equipe, quebrando o grande jejum de vitórias. Nota: 8,5.

10 - Douglas (Grêmio): Mostrou que um contra-ataque perfeito não necessita apenas de jogadores velozes, dando passes na medida certa para Giuliano executar a função da rapidez. Foi um verdadeiro maestro e marcou o primeiro gol da equipe. Nota: 9.

11 - Luciano (Corinthians): Com muito oportunismo, marcou dois gols. Também ajudou na pressão sobre os zagueiros e na criação de jogadas. Nota: 8.

TÉCNICO: Osório (São Paulo): Destruiu a marcação do Figueirense com chegadas rápidas pelas laterais do campo. Foi genial também ao colocar Breno de volante, que mostrou toda sua qualidade na nova função. Nota: 8.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: