Seleção da Quarta Rodada do Brasileirão 2015

1 - Vagner (Avaí): Foi o melhor jogador em campo, praticando pelo menos três grandes defesas, além de mostrar segurança para sair com os pés também. Nota: 9.

2 - Bruno (São Paulo): Surpreendentemente, fez uma boa partida defensiva, tirando duas bolas providenciais. No setor ofensivo, foi o jogador do São Paulo que mais procurou jogo e criou oportunidades Nota: 8.

3 - Tiago Alves (Ponte Preta): Teve grande atuação defensiva, levando a melhor em todas contra os atacantes da Chapecoense. Também fez o primeiro gol da partida, que noite do zagueirão. Nota: 8,5.

4 - Marquinhos (Figueirense): Defensivamente, mostrou que é o capitão que o time necessita, organizando o setor e tirando as bolas sem brincadeiras. No ataque, marcou o primeiro gol da equipe. Nota: 8. 

5 - Otávio (Atlético Paranaense): Jogou com uma vontade fora do comum, incansável na proteção da defesa. Ganhou praticamente todas as divididas e marcou os adversários em toda a parte do campo. Nota: 8. 

6 - Renê (Sport): Muito bem na marcação. Criou algumas oportunidades de gols no setor ofensivo, e em uma delas serviu Samuel Xavier, que empatou o jogo. Nota: 8.

7 - Rafael Marques (Palmeiras): Se doou pelo time, criando jogadas no ataque, fazendo papel de centroavante e ajudando a recompor o meio campo quando a bola estava com o adversário. Marcou o primeiro gol da equipe. Nota: 8,5.

8 - Zé Roberto (Palmeiras): Provou que no meio campo é muito mais útil ao time do que na lateral. Com boas chegadas ao campo defensivo adversário, assustou. Iniciou a jogada que resultou no seu próprio gol, após cruzamento de Valdívia. Nota: 8.

9 - Fred (Fluminense): Marcou dois gols e se tornou o maior artilheiro da história dos pontos corridos. Nota: 9.

10 - Renato Cajá (Ponte Preta): Novamente o maestro da equipe, distribuindo bons passes e organizando o meio campo. Deu a assistência para o primeiro gol e com um chute quase do meio campo, fechou o placar. Nota: 9.

11 - Thiago Ribeiro (Atlético Mineiro): Muita movimentação junto de seus companheiros no ataque. Com o "pé calibrado", acertou duas boas finalizações, marcando dois gols. Nota: 9.

TÉCNICO: Gílson Kleina (Avaí): Mesmo estando suspenso, sendo substituído por seu auxiliar Juninho, fez o time pressionar a defesa adversária desde o inicio, conseguindo o primeiro gol desta forma. Quando o jogo estava empatado, ao invés de se defender e sair de Curitiba com um ponto, colocou em campo Roberto, Rômulo e André Lima, indo para cima do Coxa e vencendo o jogo. Nota: 9,5.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: