Seleção da Vigésima Segunda Rodada do Brasileirão 2014

1 - Aranha (Santos): Além da grande atuação dentro de campo, onde fez duas grandes defesas e evitou um resultado pior para o Santos, deu um show de caráter, sinceridade e personalidade, ao ter que voltar ao mesmo lugar onde viveu uma noite de tristeza semanas atrás. Foi muito tranquilo no jogo, não dando atenção e não caindo nas provocações e vaias da torcida gremista. Após o jogo, foi muito humilde nas entrevistas.

2 - Alex Silva (Atlético Mineiro): Foi muito bem na marcação, mostrando muita vontade. Salvou um gol quase certo do Goiás e ainda apareceu bem no setor ofensivo. Nota: 7,5.

3 - Thiago Heleno (Figueirense): Novamente foi o melhor jogador do time na partida. Não teve problemas na defesa, afastando os perigos de gol do Tigre. Ao subir para o ataque, em um escanteio, marcou o gol de empate do Figueira. Nota: 8.

4 - Paulão (Internacional): Foi muito guerreiro em campo, jogando com muita raça. Fez bons desarmes e cortes providenciais. Nota: 8.

5 - Canteros (Flamengo): Muito bem, tanto na marcação, quanto na criação de jogadas. Marcou o primeiro gol do Mengão. Nota: 8.

6 - Victor Luís (Palmeiras): Quando a equipe estava mal no jogo, foi a "válvula de escape". Com a melhora do Palmeiras no segundo tempo, tornou-se o maior perigo ao Flamengo, ganhando todas pela esquerda. Marcou o gol de empate. Nota: 8.

7 - William Henrique (Vitória): Mudou o jogo ao entrar na partida. Atormentou a defesa do Fluminense, que assistiu o garoto marcar um golaço. Nota: 8.

8 - Alisson (Cruzeiro): Infernizou o setor direito do Furacão, com dribles e muita velocidade. Marcou o primeiro gol do time, após fazer linda jogada individual e contar com o desvio na zaga. Nota: 8.

9 - Guilherme (Atlético Mineiro): Primeiro marcou um golaço de cobertura. Depois aproveitou a oportunidade que teve sem goleiro, ampliando a vantagem. Continuou bem no jogo, buscando a bola e movimentando-se. Nota: 9.

10 - Dátolo (Atlético Mineiro): Foi o maestro da equipe, tendo uma atuação de gala. Deu duas assistências maravilhosas para os gols de Guilherme e Carlos. Também distribuiu dribles e puxou contra-ataques. Nota: 9.

11 - Joel (Coritiba): O camaronês surpreendeu a todos ao mostrar oportunismo e qualidade técnica. Atuou como um verdadeiro matador no gol da virada do Coxa, posicionando-se muito bem. No segundo, ganhou na velocidade da defesa do Tricolor, driblou Dênis e finalizou de direita, a perna ruim. Nota: 9.

TÉCNICO: Gilson Kleina (Bahia): Soube aproveitar a vantagem numérica e o banco de reservas, fazendo as mudanças exatas para conseguir a virada no Maracanã. Nota: 8.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: