Seleção da Vigésima Rodada do Brasileirão 2014

1 - Rogério Ceni (São Paulo): Salvou o tricolor em momentos importantes, como na grande defesa quando Wallyson ficou cara a cara com o goleirão. Jogando com os pés, deu passes, lançamentos e até um lindo drible em Zeballos. Nota: 8.

2 - Patric (Sport): Que ele é acostumado a aparecer no ataque e marcar alguns gols já sabíamos, mas marcar um hat-trick? Foi o nome do Sport no jogo e craque da rodada. Além de tudo, não teve problemas na defesa. Nota: 10.

3 - Victorino (Palmeiras): Foi excelente nas bolas aéreas, disputando-as com uma vontade fora do normal. Também se destacou nos desarmes. Nota: 8.

4 - Thiago Heleno (Figueirense): De certa maneira, foi ajudado pelo estilo de jogo adotado pelo Fluminense, que insistia em cruzar bolas para a área com "baixinhos" dentro dela. Mesmo assim, cortou praticamente todas o perigos, afastando riscos de gols. Nota: 8.

5 - Souza (São Paulo): Não teve problemas na marcação, mas destacou-se mesmo ao subir para o ataque. Marcou dois gols e deu belos passes. Nota: 9.

6 - Michel Bastos (São Paulo): Não comprometeu na defesa. No setor ofensivo, deitou e rolou para cima do lado direito do Botafogo, dando dribles, fazendo jogadas na linha de fundo e dando bela assistência para Kardec marcar.

7 - Alexandre Pato (São Paulo): Fez novamente uma boa partida. Marcou o quarto gol do São Paulo e também participou do primeiro gol de Souza. Apareceu muito para o jogo e ainda provocou a expulsão de Airton. Levou um cartão amarelo bobo, estragando um pouco sua nota. Nota: 8.

8 - Martinuccio (Coritiba): O argentino mandou no jogo, criando praticamente todas as oportunidades de gols do Coxa. Participou do primeiro gol e marcou o segundo em bela finalização. Se movimentou intensamente. Nota: 8,5.

9 - Alan Kardec (São Paulo): Assim como o companheiro Pato, participou muito do jogo. Fez jogadas de linha de fundo e ajudou no combate no meio de campo. Criou oportunidades e fez um belo gol. Nota: 8.

10 - Richarlyson (Vitória): Fez um golaço, mesmo contando com uma ajudinha de Dida. Marcou muito bem e errou poucos passes. Nota: 8.

11 - Ricardo Goulart (Cruzeiro): Era o jogador mais lúcido em campo, mesmo quando o time estava perdido em campo. Chamou o jogo, puxou contra-ataques e foi decisivo ao marcar o gol da vitória. Esgotado, saiu de campo no final do jogo. Nota: 8.

TÉCNICO: Muricy (São Paulo): Partiu para cima do Fogão o tempo todo, mostrando o quanto mudou seu estilo e evoluiu como treinador. Nota: 8.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: