Diário da Copa - Dia 6

A partida em Belo Horizonte começou bem agitada. A Bélgica tocava a bola e a Argélia marcava forte. Os africanos ficavam inteiramente no campo de defesa quando não tinham a posse da bola, evitando as investidas belgas. A primeira boa chance apareceu aos vinte minutos, quando Witsel arriscou um forte chute de longa distância exigindo boa defesa de Raïs M'Bolhi. Em uma chegada despretensiosa da Argélia, Vertoghen puxou Feghouli dentro da área e o árbitro marcou penalti. O camisa dez argelino foi para a cobrança e abriu o placar. Se já estava difícil entrar na defesa argelina, ficou muito mais. Na segunda etapa, Mertens entrou no lugar de Chadli, dando mais velocidade a equipe. As jogadas de linha de fundo começaram a sair e foi dessa forma que De Bruyne cruzou para a área, Fellaini, que também havia entrado no meio da partida, acertou lindo cabeceio, sem chances ao goleiro da Seleção Argelina. Aos 35 minutos, Hazard, que estava sumido até então, deu excelente arrancada e rolou para Mertens fuzilar e virar o confronto, espantando a zebra. A grande surpresa da partida foi Raïs M'Bolhi, que praticou belas defesas.

Craque do Jogo: Kevin de Bruyne (Bélgica)
Árbitro: Marco Rodrigues (México)
Gols da partida: Feghouli (25'), Fellaini (70') e Mertens (80')



Até o momento foi o jogo que começou mais pegado nesta Copa. O anti-jogo e as faltas foram praticados pelas duas equipes logo no início. As chances apareciam em finalizações longas ou bolas aéreas. Júlio Cesar fez boa defesa em chute de Herrera. Em resposta, Neymar subiu mais que a zaga mexicana, cabeceando muito bem, porém Ochoa fez seu primeiro milagre, evitando o gol. O primeiro tempo se mostrou bem equilibrado, com bonitos dribles e boa marcação de ambos os lados. Para a segunda etapa, o México voltou ainda mais disposto, inclusive empurrou o Brasil para seu campo defensivo logo nos primeiros dez minutos. Próximo aos vinte minutos, o Brasil começou a crescer no jogo e criou boas chances em jogadas de velocidade com Neymar e Oscar. Ochoa fez novamente grande defesa. No final do jogo, ainda deu tempo para o goleirão mexicano fazer mais uma grandíssima defesa em cabeçada a queima-roupa de Thiago Silva, provando que nada passaria por ele na partida. Apesar do 0x0 no placar, acompanhamos um bom jogo.

Craque do Jogo: Guillermo Ochoa
Árbitro: Cüneyt Çakır (Turquia)
Gols da partida: Nenhum


Na primeira etapa os times foram muito "mornos", ou seja, tocaram muito a bola mas pouco pressionaram as defesas. Quem viu o primeiro tempo deve ter acreditado que teríamos outro 0x0, pois nenhuma das seleções criavam perigo real de gol. Na volta do intervalo, as coisas melhoraram um pouco. Os times começaram a chutar frequentemente de fora da área, mostrando que não estavam "levando muita fé" nos goleiros. Akinfeev confirmou o porque das desconfiança que os jogadores coreanos tinham. Lee Keun Hoo arriscou e o goleirão russo tomou um frango e tanto, abrindo o placar. Em seguida, Capello colocou em campo o artilheiro Kerzhakov em campo e em poucos minutos o atacante mostrou porque é tão perigo, empatando o jogo ao pegar o rebote do goleiro. No final da partida até tivemos uma pressão russa com chuveirinhos, mas ficou por isso mesmo, 1x1. 

Craque do Jogo: Son Heung-Min
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Gols da partida: Lee Keun Hoo (67') e Kerzhakov (73')

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: