Diário da Copa - Dia 5

A Seleção Alemã entrou em campo com uma formação diferente, usando quatro zagueiros ao invés de dois zagueiros e dois laterais, fazendo de Lahm um volante. As duas equipes pressionavam muito a saída de jogo do adversário logo no início, tanto que Meirelles roubou uma bola de Mertesacker, tocou para Ronaldo que com forte chute exigiu boa defesa de Neuer. Em seguida, foi a vez de Müller pressionar Rui Patrício que chutou de qualquer jeito, com o gol livre Khedira arriscou e a bola passou raspando. Pouco depois, em linda triangulação, Götze recebeu na área e foi derrubado por João Pereira, Müller cobrou bem o penalti e abriu o placar para os alemães. Fora Mertesacker, todos os zagueiros alemães possuem boa técnica, o que faz o time ter uma saída de jogo tranquila, sem chutões. Quando Portugal tinha a posse, sofria muito com a forte marcação alemã e não conseguia chegar tocando na entrada da área, fazendo com que as melhores chances surgissem de chutes de longa distância. Aos 31 minutos, Toni Kroos bateu escanteio perfeito na área, Hummels sobiu mais que a defesa portuguesa e marcou o segundo gol. Seis minutos mais tarde o que já era complicado para Portugal, piorou. Pepe com uma atitude extremamente ignorante e infantil, deixou o braço em Müller, como se já não bastasse ainda agrediu o jogador alemão no chão em seguida, sendo expuslo pelo árbitro. A Alemanha chegava fácil, ainda mais com um jogador extra em campo, e ainda antes de acabar o primeiro tempo Müller marcou o terceiro. Na volta do intervalo, a Alemanha procurou ficar com a posse de bola e fazer o tempo passar, até porque o calor estava desgastante, mesmo assim não abdicou de atacar quando a oportunidade aparecia. Portugal tentava fazer a bola chegar em Cristiano Ronaldo, que sozinho tentava ir para dentro da zaga alemã sem sucesso. Aos 31 Müller isolou-se na artilharia da Copa com mais um gol. Hat-trick logo na estreia do craque, marcando seu oitavo gol em duas Copas. Acho que Ronaldo tem que começar a se preocupar mais com Müller do que com Klose, pois o garoto tem apenas 24 anos e além de poder marcar gols ainda nesta edição deve disputar pelo menos mais uma Copa. No finalzinho CR7 ainda tentou marcar o seu com uma bomba de fora da área, mas Neuer fez milagre. Portugal ainda reclamou de um penalti de Höwedes em Éder não marcado pelo juíz.

Craque do Jogo: Thomas Müller (Alemanha)
Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia)
Gols da partida: Müller (12', 45' e 76') Hummels (31')


As duas seleções começaram com muita força física, velocidade e chutões. A Nigéria "tratava" melhor a bola, tendo a posse e trabalhando-a, porém chegava de maneira muito desordenada. O Irã se defendia e não mostrava intimidade alguma com a Brazuca. Passados 30 minutos sem marcar gols, os jogadores nigerianos começaram a ficar ainda mais afobados, fazendo com que o Irã automaticamente melhorasse. A melhor chance da primeira etapa foi em uma boa cabeçada de Reza, do time iraniano, que obrigou Eneyeama fazer grande defesa. Na segunda etapa o jogo conseguiu ficar ainda menos emocinante, com as duas equipes tentando finalizar de qualquer jeito. O Irã voltou um pouco melhor, mostrando mais organização. No final do jogo, com bolas aéreas a Nigéria levou susto, mas o jogo foi mesmo muito fraco e ninguém marcou. Eu esperava mais do time africano.

Craque do Jogo: Obi Mikel
Árbitro: Carlos Vera (Equador)
Gols da partida: Nenhum


Logo no primeiro lance do jogo, Dempsey mostrou toda sua categoria ao dominar bonito, driblar um adversário e finalizar com muita felicidade no cantinho, abrindo o placar para a Seleção Norte Americana. Mesmo sofrendo um gol relâmpago, Gana não se assustou, criando boas oportunidades com os velozes Ayew e Atsu. Não entendi porque Essien e Boateng começaram a partida no banco, pois melhorariam muito a criação no meio campo da equipe, que entrou em campo com Boye, Rabiu e Muntari. A Seleção Ganesa teve maior posse de bola e começou a dominar a partida a partir dos 30 minutos, mas parava na boa marcação dos americanos. No segundo tempo, Gana voltou com mais vontade, perdendo boas chances com Gyan e Muntari. Com a entrada de Boateng, os Estados Unidos ficaram ainda mais recuados, fechando os espaços da Gana, principalmente pelas pontas. Em contrapartida, Dempsey era a válvula de escape americana, puxando contra-ataques e segurando a bola assim que a tinha. Aos 37 minutos, quando já era visível o desgaste da Seleção Americana, André Ayew recebeu passe de calcanhar de Gyan em veloz jogada e com forte chute de trivela empatou o jogo. Gana pouco pode comemorar, pois minutos depois o zagueiro Brooks acertou uma cabeça indefensável e colocou novamente os Estados Unidos na frente. Com o final do jogo, a seleção de Klinsmann dá um passo importante para buscar a classificação no grupo e ainda quebra a "sina" de nunca ter vencido Gana.

Craque do Jogo: Clint Dempsey
Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia)
Gols da partida: Dempsey (1'), André Ayew (82') e Brooks (86')

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: