Diário da Copa - Dia 17

Como era de se esperar, Chile e Brasil começaram em ritmo muito forte, chegando firme nos lances e cometendo faltas duras. Não demorou muito para a tática já prevista de cruzar bolas altas para a área chilena dar certa. Após escanteio cobrado, Thiago Silva desviou e Medel fez contra. Como David Luiz estava no lance, o árbitro Webb deu o gol para o zagueiro brasileiro. Os dois times não mudaram os ritmos após o gol, mas cometeram ainda mais faltas. Em um erro grotesco de Hulk na lateral, Vargas roubou a bola já passando para Sánchez na entrada da área, o jogador do Barcelona colocou no cantinho de Júlio César, empatando o jogo. Na volta dointervalo, o Chile estava mais solto, trocando passes e neutralizando Neymar e Oscar. Hulk marcou aos nove minutos, porém dominou a bola com o braço e o juíz invalidou o gol. Apóss o acontecimento, o Chile cresceu ainda mais, envolvendo o Brasil e tendo enorme vantagem na posse de bola. A bola não chegava aos atacantes do Brasil, e ao invés de pôr em campo mais um meia de criação, Felipão trocou Fred por Jô, ou seja, seis por meia dúzia. Aos 36 minutos o Brasil resolveu se arriscar um pouco mais, levando perigo com jogadas de linha de fundo. Hulk em jogada individual exigiu elástica defesa de Bravo, em chute de perna direita. Nos últimos cinco minutos, o Chile abafou, mas a defesa brasileira se livrou com chutões até o fim do tempo regulamentar. Na primeira etapa da prorrogação, o Brasil começou melhor, colocando velocidade e arriscando chutes de longe. Hulk foi o melhor jogador da Seleção Brasileira. Nos últimos cinco minutos, a equipel chilena pressinou bastante, mas não conseguia penetrar na boa defesa brasielira. Na segunda parte da prorrogação, o desgaste chileno era nítido, e com isso o Brasil foi melhor. Jogou o tempo todo no campo chileno. Contudo Pinilla tabelou com Sánchez e acertou o travessão do goleiro Júlio César. Levou muita sorte a Seleção Brasileira com o final da prorrogação. Júlio César foi o personagem dos penaltis, ao defender dois, mas a trave também fez sua parte novmente, no penalti de Jara. Brasil passou mesmo ao jogar pior e não merecer, mas a sorte também faz parte do futebol. Para mim, a Seleção Canarinho já está garantida nas semi-finais.

Craque do jogo: Júlio César (Brasil)
Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)
Gols da Partida: David Luiz (18'), A. Sánchez (32')





O abatimento da perda de Luisito Suárez estava presente no rosto de todos os jogadores uruguaios. A Colômbia não tinha nada a ver com o caso, portanto foi para cima. Trabalhava bem a bola e levava perigo com a habilidade de Cuadrado e James. Não demorou muito para o gol sair. Aos 28 minutos, James Rodríguez recebeu bola de Sánchez, matou no peito e sem deixar cair emendou um chute lindo, que ainda bateu na trave e no chão antes de morrer no fundo das redes. O Uruguai não teve reação e viu a Colômbia ficar com a posse em todo primeiro tempo. No segundo tempo, a Seleção Colombiana marcou o segundo gol logo aos cinco minutos. Armero cruzou para a área, Cuadrado ajeitou de cabeça para Rodríguez marcar de novo, tornando-se o artilheiro isolado do Mundial até o momento. Após sofrer o segundo gol, o Uruguai melhorou e começou a pressionar. Arriscava chutes e chuveirinhos, exigindo três grandes defesas de Ospina. Com o fim do jogo, a Colômbia enfrentará o Brasil nas quartas de final. Pelo que vi, o Brasil terá mais facilidade de jogar contra a Colômbia, que não é um time que marca tão forte e deixa o adversário jogar, porém agride bastante o sistema defensivo da equipe desafiante.

Craque do jogo:James Rodríguez (Colômbia)
Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)
Gols da Partida: James Rodríguez (28' e 50')


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: