Análise Pré-Copa: Grupo G

Alemanha: Uma geração repleta de craques e promessas, porém costuma vacilar nos momentos mais decisivos das competições nos últimos anos. O ditado que diz que "é errando que se aprende" pode se tornar a chave para o sucesso dos alemães nesta Copa, principalmente pelas experiências negativas. Meu favorito para o título é o Brasil, mas se tem alguma seleção que pode mudar minha concepção é a Alemanha, que seria minha "segunda" favorita para levantar o caneco.

Portugal: Não vejo como uma seleção tão ruim como se fala. Todas as apresentações das seleções em revistas e sites, apontam Portugal como uma seleção de apenas um jogador (CR7). É óbvio que o melhor do mundo faz toda a diferença na seleção portuguesa, da mesma forma que faz no Real Madrid e faria em qualquer clube ou país do mundo, porém vejo Portugal com bons olhos para essa Copa, principalmente os garotos William Carvalho, André Almeida e Rafa, podendo surpreender na terra que antigamente era colonizada por eles.

Gana: É o time mais equilibrado do continente africano, com bons e velozes atacantes (Gyan, Atsu e Ayew), meias e volantes técnicos e raçudos (Boateng, Muntari e Essien), além de ter a defesa "menos pior" das seleções da África. Tem a fama de ser a melhor categoria de base do continente, prometendo apresentar jogadores interessantes ao mundo. É uma pena que tenha caído em um grupo tão complicado, porque caso contrário irá passar com tranqulidade às oitavas.

Estados Unidos: País que vem crescendo de produção a cada mundial, e é com folga a melhor equipe das Américas do Norte e Central. O técnico alemão Klinsmann cortou o ídolo Donovan da lista final, surpreendendo grande parte dos admiradores do esporte no país, porém ele tem seus motivos. Novos talentos surgiram e Donovan não é mais um jogador de grande explosão física e técnica, tanto é que fez uma fraca temporada pelo L.A. Galaxy na MLS. Fique, de olho em Julian Green, jogador alemão com cidadania americana, que atua no Bayern e optou atuar pela Seleção Americana.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: