Top 10 Maiores Jogadores Camaroneses da História

10 - Cyrille Makanaky: Foi um dos grandes meias africanos dos anos 80 e 90. Distribuía bons passes e lançamentos aos atacantes, além de ser driblador e veloz. Iniciou sua carreira pelo time amador francês Saint-Leu, onde teve grande destaque marcando 26 gols em 30 jogos. Com o sucesso, foi contratado pelo Ajaccio. Jogou ainda pelo Toulon e o Lens, na França. Após o grande mundial de 1990, pela Seleção Camaronesa, mudou-se para o Málaga. Fez uma boa primeira temporada pelo clube espanhol, mas lesões imperidram o meia de deslanchar na segunda temporada. Foi vendido ao Villarreal no ano seguinte, onde não esteve bem e participou da queda da equipe à segunda divisão espanhóla. Depois das más atuações na Espanha, aceitou uma proposta do Maccabi Tel Aviv, para jogar a liga Israelita. Apesar de ter sucesso no país judaico, resolveu jogar pelo Barcelona do Equador, onde tornou-se ídolo e venceu dois campeonatos nacionais. Por sua seleção, Makanaky teve grande destaque na Copa Afrincana de Nações de 1988, sendo campeão do torneio, e na Copa do Mundo de 1990, onde junto de Roger Milla, conduziu Camarões às quartas de final da competição.


9 - Lauren: Laureano Bisan-Etame Mayer foi um lateral direito de muito sucesso. Iniciou no Ultrera, desconhecido time espanhol. Com as boas atuações, foi contratado pelo Sevilla, porém jogou apenas na equipe B do time. No ano seguinte, trocou o Sevilla pelo Levante, fazendo sua primeira temporada em alto nível. Ainda na Espanha, jogou no Mallorca, realizando duas temporadas notáveis pelo clube. Precisando de um lateral direito, o Arsenal foi atrás do camaronês bom de bola. Ficou por sete anos no time londrino, vencendo a Premier League em 2001/02 e no inesquecível time da temporada 2003/04, que foi campeão invicto. Antes de se aposentar, Lauren ainda jogou no Portsmouth e no Córdoba (Espanha). Pela Seleção Camaronesa, Lauren venceu as Olimpiadas de 2000, em Sydney, e a Copa das Nações Africanas: 2000 e 2002, sendo eleito melhor jogador da competição em 2000.


8 - Marc-Vivien Foé: Volante, Foé se destacava pelo vigor físico, passes precisos e por ser um exímio marcador. Iniciou sua carreira nas categorias de base da equipe do Union Garoua, mas logo transferiu-se para o Canon Yaoundé, um dos maiores clubes de Camarões, conquistando a Taça Camarões em 1993 pelo time. Após atuar bem por sua seleção, na Copa de 1994, Foé acerta com o francês Lens. Durante suas cinco temporadas no Lens, ganhou o título da Liga francesa em 1998, além de se tornar um ídolo para a torcida. Chegou a ser sondado pelo Manchester United, porém a oferta do clube inglês de £3 milhões foi recusada pelo Lens. Às vésperas da Copa de 1998, Foé fraturou a perna em um jogo pela seleção, sendo cortado da competição. Após longo tempo de recuperação, foi contratado pelo londrino West Ham. Realizou duas boas temporadas pelo clube inglês, tendo seu passe valorizado. Em seguida, o volante acerta transferência para o Lyon. No time de Juninho, o camaronês teve ótima passagem, participando dos títulos da Copa da França e da Liga Francesa. Ao mesmo tempo, participou da Copa do Mundo de 2002, onde também teve grandes atuações, apesar da eliminação precoce de Camarões. Com o final da competição, Foé é emprestado ao Manchester City, participando de 35 partidas e marcando nove vezes. Em Junho de 2003, Foé fazia parte da Seleção Camaronesa que disputava a Copa das Confederações. Vinha jogando em altíssimo nível e sendo um líder dentro de campo. Em 26 de Junho de 2003, Camarões e Colômbia se enfrentaram na semi-final da competição. Aos 27 minutos do segundo tempo, Foé desabou no círculo central do gramado. Depois de inúmeras tentativas de reanimá-lo em campo, foi removido por uma maca, recebendo respiração boca-a-boca e oxigénio. Os médicos tentaram reanimar o jogador por cerca de uma hora, mas infelizmente os esforços foram em vão. A autópsia revelou cardiomiopatia hipertrófica, e concluiu que a morte de Foé foi cardíaca. Antes das seleções de Camarões e Colombia entrarem em campo, Foé havia dito aos colegas: "Garotos, mesmo se for preciso morrer no gramado, nós temos que vencer esta semifinal".


7 - Thomas N’Kono: Thommy, como era conhecido, despontou para o futebol em 1974, com apenas dezoito anos de idade, defendendo o Canon Yaoundé. Atuou pelo clube até 1982, onde foi pot cinco vezes campeão da África. Em 1979, foi vencedor com o prêmio de melhor jogador de seu continente, sendo o primeiro goleiro. Repetiu o triunfo em 1982, ano em que disputou sua primeira Copa. Com o sucesso e as habilidades mostradas atuando pelo  Canon Yaoundé  e a seleção, despertou o interesse do Espanyol, que anunciou sua contratação em 1982. N'Kono foi por oito anos titular da equipe catalã, tendo como características destacadas a segurança e agilidade debaixo das traves, e também por jogar sempre de calças compridas. Conquistou um recorde pessoal ataundo pelo time espanhol. ficando 496 minutos sem levar gols. Deixou o Espanyol em 1990, porém continuou na Catalunha, atuando Sabadell e o L'Hospitalet. Já no final de sua carreira, disputou o Campeonato Boliviano, pelo Bolívar. Pela Seleção Camaronesa, disputou as Copas de 1982, 1990 e 1994, tendo grande destaque na seleção de 1990, na companhia de Roger Milla. Atuou em 112 partidas pelos Leões Indomáveis.


6 - Rigobert Song: Um recordista nato. Detém o recorde de jogador que mais atuou com a camisa da Seleção Camaronesa (138 partidas), profissional que mais disputou Copas Africanas de Nações (oito) e também é o camaronês que mais disputou copas (1994, 1998 , 2002 e 2010). Iniciou sua carreira de jogador pelo Metz, da França, ajudando o clube a vencer a Taça da Liga francesa em 1996. Em 1998, mudou-se para a Salernitana, que havia subido para a Série A italiana. Em janeiro de 1999, deixou a Itália rumo à Liverpool, onde fez uma temporada regular. Não conseguindo muito sucesso no time dos Beatles, mudou-se para o West Ham. Sem se firmar como titular da equipe, mudou mais uma vez de país, acertando com o alemão Colônia. Novamente sem sucesso, decidiu voltar a França para jogar pelo Lens. Fez boas temporadas e ficou até 2004 no clube. Por fim, foi para a Turquia, passando quatro anos com o Galatasaray e ganhando dois títulos da Liga turca e da Copa da Turquia. Ainda no país, assinou então um contrato com Trabzonspor , em 2008 , participando da conquista da Copa da Turquia. Após a Copa de 2010, decidiu se aposentar. Rigobert é primo de Alex Song, jogador do Barcelona.


5 - François Omam-Biyik: Ficou conhecido pelo gol e pela grande atuação na surpreendente vitória a Seleção Camaronesa sobre a Argentina em 1990. Biyik foi um atacante veloz e dinâmico, costumava se movimentar muito, mas sua característica principal era o cabeceio. Teve grandes temporadas jogando por times pequenos da França, como Laval, Rennes, Lens e Cannes, mas também chegou a jogar pelo Marseille. Porém seu grande momento foi vestindo a camisa do América do México, onde tornou-se um ídolo. Omam-Biyik é tão querido no país latino, que residiu por muitos anos lá. Perto da aposentadoria, também jogou no Puebla, no México. Disputou pelos Leões Indomáveis as Copas de 1990, 1994 e 1998.


4 - Geremi Njitap: Jogava como lateral direito, volante e também meia direita. Destacava-se por sua força física, muita vitalidade, bons passes e chutes. Geremi começou no Racing Bafoussam (time camaronês) e com suas grandes atuações ficou apenas uma temporada no clube. Chamou a atenção do Cerro Porteño em um jogo da Seleção Colombiana diante do Brasil, sendo que possuia apenas dezessete anos. No Paraguai, Geremi ficou poucos meses, jogando na maior parte do tempo pelas categorias de base. Ao completar dezoito anos, transferiu-se para o clube turco Gençlerbirliği. Fez duas grandes temporadas pelo time, atraindo os olhares do Real Madrid. Em 1999, chega à capital espanhola para jogar pelo time mais vitorioso da história do futebol. Em sua passagem pelo clube, foi por três anos um "reserva de luxo", cumprindo seu papel sempre que era utilizado. Participou de dois títulos da Liga dos Campeões pelo Real. Em 2002, foi emprestado ao Middlesbrough, onde viveu sua melhor fase. Depois de uma excelente Copa das Confederações com a Seleção de Camarões, o Chelsea contratou-o por £6.900.000. Foi muito bem pelo time londrino, principalmente na época em que foi treinado por Mourinho, que gostava muito de seu futebol e sempre o elogiava. Ainda jogou pelo Newcastle, Ankaragücü e Larissa, antes de terminar sua carreira. Pela seleção, jogou 118 vezes e marcou treze gols.


3 - Patrick M'boma: M'boma foi um atacante de muita força física, boa finalização e que possuia chutes poderosos. Ficou conhecido como um jogador que marcava muitos golaços, principalmente com belos chutes de longa distância, voleios e bicicletas. Jogou em muitos clubes durante sua carreira, mas teve grande destaque no Paris Saint-Germain, Châteauroux, Gamba Osaka, Cagliari e Parma. Venceu o prêmio de futebolista africano em 2000, após ser um dos destaques da vitóriosa campanha nas Olimpíadas do mesmo ano. Também foi campeão de duas Copa Africana de Nações (2000 e 2002). Disputou as Copas de 1998 e 2002. Fez 33 gols em 57 jogos pela seleção, tendo uma das melhores médias de gols de Camarões.


2 - Samuel Eto'o: Aos Dezesseis anos chegou ao Real Madrid, após surgir nas categorias de base do Kadji Sports Academy. Pelo clube merengue, Eto'o nunca chegou a jogar uma partida pelo time principal, sendo emprestado para Leganés, Espanyol e Mallorca. Com as boas atuações pelo Mallorca, foi contratado pelo clube em 2000. Tornou-se ídolo da torcida e do clube, sendo o maior artilheiro da história da equipe e vencendo a Copa do Rei da temporada 2002/2003, onde marcou dois gols na final. Em 2004, o Barcelona mostrou interesse pelo seu futebol, contratando-o junto ao Mallorca por 24 milhões de euros. Se já havia brilhado no Mallorca, brilhou muito mais no Barça. Ao lado de Ronaldinho, fez grandes temporadas pelo clube catalão, conquistando em cinco temporadas os títulos da Liga dos Campeões (2005-06 e 2008-09), do Campeonato Espanhol (2004-05, 2005-06 e 2008-09), da Copa do Rei (2008-09) e da Supercopa da Espanha (2005, 2006). Em 2009, foi envolvido na negociação do Barcelona com a Inter de Milão por Ibrahimovic, rumando então para o clube italiano. Em apenas duas temporadas pelo clube de Milão, que era comandado por José Mourinho, Eto'o venceu tudo que era possível: Copa da Itália, Campeonato Italiano, Supercopa da Itália, Champions League e Mundial Interclubes. Após a temporada 2010/2011, o atacante deixou a Internazionale para ser o jogador mais bem pago do mundo no Anzhi da Rússia. Em duas temporadas no frio russo, nada venceu, e com o fim do investimento do bilhonário Suleyman Kerimov, chegou ao Chelsea para esta temporada, onde trabalha novamente com José Mourinho. Eto'o fez até o momento 112 jogos por Camarões, marcando 55 gols. Se não tiver nenhum problema com lesões, é nome certo para a copa aqui no Brasil. Esta pode ser sua quarta Copa, já que disputou a competição em 1998, 2002 e 2010. Venceu por sua seleção as Olimpíadas de 2000 e duas Copa Africana de Nações (tornou-se maior artilheiro da história da competição continental em 2008). Individualmente, o craque foi premiado quatro vezes como melhor jogador africano e ainda foi o terceiro melhor jogador do mundo no ano de 2005.


1 - Roger Milla: Jogador extremamente habilidoso, veloz e matador. Milla começou no Eclair de Douala, mas logo mudou-se para o Léopard de Douala, onde ganhou destaque marcando 89 gols em 117 jogos. Por outro clube camaronês, o Tonnerre Yaoundé, teve outra grande média de gols (87 jogos e 69 gols), chamando a atenção do futebol francês. No país europeu, jogou pelo Valenciennes, Monaco, Bastia, Saint-Étienne, e Montpellier. Já aos 38 anos de idade, voltou para o futebol camaronês, mas quando já parecia estar "acabado" para o futebol, apareceu de maneira incrível na Copa de 1990, sendo o maior ícone da incrível campanha camaronesa ao chegar nas quartas de final da competição. Milla só foi convocado para a copa porque era amigo do presidente do país, Paul Biya, que admirava seu futebol. O sucesso na Copa de 1990, deu um "gás" a sua carreira, fazendo-o ainda jogar novamente pelo Tonnerre Yaoundé por quatro anos. Roger não havia mais sido convocado pela Seleção Camaronesa, mas em 1994, aos 42 anos de idade, Camarões novamente conquistou a classificação ao Mundial. De novo por influência do presidente e amigo Paul Biya, Milla foi convocado para a Copa nos Estados Unidos. Tornou-se o jogador mais velho a jogar e marcar gol em Copas ao balançar as redes da Rússia na goleado sofrida por 6 a 1. Em 1997, após jogar três anos no futebol da Indonésia e fazer um "pé de meia", anunciou sua aposentadoria do futebol. Marcou 28 gols em 102 jogos pelos Leões Indomáveis.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: