Calendário do Futebol no Brasil

Há algum tempo vem sendo discutida a forma como funciona o calendário do futebol brasileiro, e consequentemente atitudes que a CBF deve tomar para melhorá-lo. Alguns comentaristas afirmam que para melhorar deveríamos adotar o mesmo sistema utilizado na Europa, outros que a solução seria acabar com os campeonatos estaduais, e ouvi até quem disse que a medida certa era juntar estados, realizando um campeonato regional, como a Copa do Nordeste. Em minha opinião o método mais viável era encurtar o campeonato estadual, que geralmente é disputado com turno e returno, onde os quatro ou oito melhores decidem as vagas na final pelo bom e velho "mata-mata". A competição se torna muito cansativa e desgastante aos atletas, podendo ser melhorada se houvesse uma reformulação: dos pontos corridos, para formação de grupos. Vou pegar como exemplo o melhor estadual do país, o Campeonato Paulista, que na sua forma atual é disputado por 20 equipes, todas jogam contra todas, os quatro últimos são rebaixados, e os oito primeiros classificam-se para as finais. Veja o quanto a competição fica longa, os times que chegam a final disputam nada menos que 25 jogos (sem contar Libertadores e Copa do Brasil) em menos de quatro meses. O campeonato ficaria muito mais agradável se fosse reformulado, de maneira que os 20 clubes fossem divididos em quatro grupos, cada grupo com cinco times, disputando turno e returno. Até aí cada equipe disputaria oito jogos, o último colocado descia para a Série A-2 e as duas primeiras classificavam-se, dando sequência as quartas de finais, semi, e finais, ou seja, o campeão iria disputar 14 partidas, diminuindo 11 jogos e tendo uma competição mais emocionante, menos extensa e que daria mais tempo para os times realizarem uma boa pré-temporada. Porém, como sabemos, em nosso país os problemas costumam a demorar até serem resolvidos, e para o ano que vem, ano onde a Copa do Mundo será aqui, o calendário ficará ainda mais apertado. Pensando como telespectador e torcedor assíduo dos estádios, quem não gosta de ter um joguinho bom pra assistir quase todos os dias, não é? Mas se analisarmos a situação que vivenciam os jogadores, que apesar de terem a profissão que quase todo brasileiro já desejou, também são trabalhadores e merecem condições adequadas de trabalho e folgas dignas para seus músculos.

Quadro: Exemplo do mês de outubro de um time da série A do Brasileirão que também disputa Copa do Brasil ou Sul-Americana

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: