Aonde foi parar: Kerlon


Foi no ano de 2005, que Kerlon apareceu para o mundo como o melhor jogador do Sulamericano sub-17, além de artilheiro da competição. O brilhante início do garoto das categorias de base do Cruzeiro foi intensificado com a autenticidade do "drible da foca", na qual o atleta conduzia a bola fazendo "embaixadinhas" com a cabeça. Tal fato era muito bem visto pela torcida, que o trasforama em um "xodó", mas odiado por adversários, que consideravam o talento de Kerlon um deboche. Chegou a ser agredido por um jogador no Sulamericano e por Coelho, lateral do Atlético Mineiro. 


Apesar de boas partidas pelo Cruzeiro, Kerlon mostrou ter sérios problemas em lesionar-se, ficando quase dois anos parados para corrigir problemas no joelho e no tornozelo. Em 2008, foi vendido ao Chievo da Itália, fazendo apenas quatro partidas. Mesmo assim, chamou a atenção da Inter de Milão, que levou o atacante. Nunca atuou pelo clube italiano, sendo emprestado para o Ajax, onde teve outra séria lesão no joelho, Paraná e Nacional de Minas Gerias. Foram três anos sem ter completado sequer uma partida inteira. Conseguiu uma oportunidade no Japão, assinando contrato com o Fujieda. Em sua primeira temporada, foi o principal jogador da equipe, marcando três gols e dando seis assistências. Tornou-se ídolo da torcida e até refrigerantes foram personalizados com sua imagem e nome, fazendo sucesso na Ásia. Teve seu contrato renovado por mais uma temporada, "salvando" o clube japonês do rebaixamento e marcando gols importantes. Atualmente, vem jogando no Miami Dade, clube norte-americano da quarta divisão, que é comandado pelo brasileiro Guilherme Moretto. 

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: