Seleção da Oitava Rodada do Brasileirão 2015

1 - Alisson (Internacional): Com um vento fora do comum, seria normal os goleiros terem dificuldades, mas Alisson conseguiu sair bem nas bolas e cobrar bons tiros de meta. Para consagrar a atuação, salvou o Colorado com uma defesa incrível, queima-roupa. Nota: 8.

2 - Patric (Atlético Mineiro): Apesar de ser expulso, foi o jogador que mais levou perigo ao adversário, subindo ao ataque o tempo todo. Deu a assistência para Pratto marcar. Nota: 7,5.

3 - Neto (Chapecoense): Importantíssimo para segurar o ataque cruzeirense. Cortou muitas bolas, principalmente na bola aérea. Desarmou muitas vezes também. Nota: 8.

4 - Jemerson (Atlético Mineiro): Ganhou tudo. Não deixou os atacantes do Flamengo criarem oportunidades. Foi um "monstro" na defesa do Galo. Nota: 9.

5 - Maicon (Grêmio): Estava discreto, errando passes e lançamentos, mas marcou um golaço. Após o gol, cresceu na partida, comandando o meio campo da equipe. Nota: 8,

6 - Dener (Chapecoense): Muito acionado, participou bastante da partida com chegadas no setor ofensivo. Não teve problemas na defesa, bloqueando as subidas de Mayke. Nota: 7. 

7 - Ricardo Oliveira (Santos): Sem Robinho, conseguiu até fazer a função de segundo atacante em alguns momentos, marcando a saída de bola adversária e buscando a bola. Marcou o gol da vitória, mostrando seu oportunismo. Nota: 8,5.

8 - Vinícius (Fluminense): Não fez um bom primeiro tempo, mas na volta do intervalo participou bastante do jogo. Perdeu um gol quase feito, mas em seguida decretou a vitória com um lindo gol. Nota: 7,5.

9 - Lucas Pratto (Atlético Mineiro): Como é sua característica, foi muito raçudo e se movimentou com intensidade. Ainda marcou um golaço. Nota: 8,5.

10 - Camilo (Chapecoense): Começou o jogo meio tímido, mas assim que teve a oportunidade marcou um bonito gol de falta. No segundo tempo, rodou bastante o jogo, acertando muitos passes.Nota: 8.

11 - Kempes (Joinville): Teve muita vontade e apareceu muito pro jogo. Marcou os dois gols da equipe, dando ao JEC seus primeiros três pontos na competição. Nota: 8,5.

TÉCNICO: Gílson Kleina (Avaí): Entrou em campo com um time recuado, porém atento a contra-ataques. A tática foi boa, mas não eficaz. Após sofrer o gol, mudou o panorama da partida colocando André Lima e Rômulo na equipe. Foi muito feliz nas mudanças, que vingaram, e levou um importante ponto na bagagem. Nota: 8.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: