Guia do Brasileirão 2015 - Parte 2


Goiás: Ser campeão do fraco Campeonato Goiano não é parâmetro para a equipe, que agora terá desafios muito maiores. O elenco do time não se difere muito ao do ano passado, mas acredito ser um pouco menos qualificado. Provavelmente deve trazer um reforço para o meio campo e outro para o ataque. Felipe Menezes está em grande fase e foi eleito o melhor jogador do Goianão. Chega na competição para lutar contra o decesso.


Ponto fraco: Opções para compor o elenco.

Ponto forte: Velocidade, o time é forte no contra-golpe, contando com ágeis atletas.

Craque: Felipe Menezes, meia que já rodou bastante em clubes do país, mas que conseguiu se firmar no clube goiano. 

Fique de olho: Felipe Macedo, defensor promissor.


Grêmio: Com sérios problemas financeiros, devido a contratos mal-feitos e contratações irreais de anos anteriores, o Tricolor se desfez de peças importantes, tais como Barcos e Marcelo Moreno. A grande contratação da equipe, o uruguaio Cristian Rodríguez, mal pode jogar, pois vem sofrendo com lesões. A defesa continua muito sólida, o meio de campo é qualificado, porém as opções ofensivas ainda não são as ideias, o que faz o time precisar de reforços imediatos para a posição. Com o que tem em mãos hoje, Felipão deve conduzir o grupo para uma campanha de meio da tabela, todavia se houver contratações de qualidade, o que é possível, o objetivo no campeonato será outro.


Ponto fraco: Ataque, carecendo de jogadores mais qualificados.

Ponto forte: A defesa, muito sólida, compacta e forte.

Craque: Cristian Rodríguez, excelente meia uruguaio. 

Fique de olho: Wallace, volante que marca forte e sabe jogar também.


Internacional: Como em todos os últimos Brasileirões, o Inter chega como favorito ao título. O grupo de jogadores é muito qualificado, apesar de enfrentar dificuldades com a organização de sua defesa. O técnico Aguirre também aposta nos bons valores da base Colorada, como Taiberson, Rodrigo Dourado e Cláudio Winck. Assim como os clubes que estão disputando a Libertadores, o Inter deve priorizar a competição continental.

Ponto fraco: A marcação, ainda vulnerável.

Ponto forte: Dinâmica, com Valdívia, Sacha, Nilmar e D'ale, o time se movimenta e cria muitas oportunidades de gol.

Craque: Andrés D'Alessandro, o grande ídolo do clube.

Fique de olho: Rodrigo Dourado, bom volante de apenas vinte anos.


Joinville: Campeão catarinense dentro de campo, perdeu seu título na justiça desportiva em primeira instância. Esta situação ainda vai se desenrolar por muito tempo, e muita coisa pode acontecer. Tecnicamente falando, o JEC é o melhor dos catarinenses. Manteve o estilo de jogo que o fez ser campeão da Série B em 2014, uma defesa sólida e um contra-ataque mortal. A grande perda foi Edigar Júnio, porém a reposição foi a altura, Tiago Luís. Por ser muito forte dentro de casa, o time de Hemerson Maria pode fazer uma campanha segura, sem sustos com o assombroso "Z-4".

Ponto fraco: Pouca experiência, muitos jogadores do elenco nunca estiveram em uma série A.

Ponto forte: Qualidade técnica, que já era boa e ganhou o reforço de Marcelinho Paraíba.

Craque: Marcelo Costa, cérebro do time.

Fique de olho: Naldo, volante que já vem se destacando há um tempo.


Palmeiras: O time que mais contratou neste ano, fez um bom Paulistão, perdendo o título nos pênaltis. Com o bom elenco que tem, promete brigar pelo título. O que prejudica o Palmeiras é o retrospecto, já que não vem tendo boas campanhas, variando entre cair para a série B, beliscar uma vaga na Libertadores ou ficar no meio da tabela. É um dos times mais preparados para disputar a competição, mas acho que tem uma defesa ainda frágil.

Ponto fraco: A defesa, que ainda não inspira confiança.

Ponto forte: Peças de reposição, o time possui bos opções no banco.

Craque: Valdívia, quando está em campo joga muito, o difícil é estar em campo.

Fique de olho: Kelvin, atacante que já passou pelo Porto e ainda é pouco conhecido no Brasil, mas muito talentoso


Ponte Preta: Após quase conquistar o primeiro título de sua história, ao ser vice-campeão da Série B 2014, a Macaca está de volta à elite e procurou manter o estilo de jogo da equipe comandada por Guto Ferreira. O que mais mudou foi o setor ofensivo, que perdeu Alexandro para os Emirados Árabes, Cafú para o São Paulo e Rafael Costa para o Joinville, em contrapartida, reforçou-se com Borges, Rildo e Biro-Biro. Jogando com pontas e laterais velozes, pode ser um time fatal no contra-ataque. Provavelmente brigue para não cair, mas não acredito em decesso.

Ponto fraco: As laterais, boas no ataque, mas problemáticas na defesa.

Ponto forte: A velocidade, o time é "leve" e costuma dar trabalho aos zagueiros adversário.

Craque: Borges, "matador" de sempre.

Fique de olho: Pablo, zagueiro de muita vitalidade.


Santos: Todo ano é a mesma coisa, o Santos é finalista do Campeonato Paulista, mas no Brasileirão não passa de mero figurante. O grande desafio do técnico Marcelo Fernandes é mudar este ciclo vicioso e fazer o time conquistar no mínimo uma vaguinha na Libertadores. Um dos maiores obstáculos do clube é superar a perda de Robinho durante a Copa América, tendo em vista que o craque do time foi convocado por Dunga. Sinceramente não vejo tanta força no grupo de jogadores, apostando em mais um ano de uma campanha de meio de tabela.

Ponto fraco: Raça, tecnicamente o time vai bem, mas faltam jogadores mais guerreiros.

Ponto forte: Ataque, talvez tenha a dupla mais badalada do Brasil, Robinho e Ricardo Oliveira.

Craque: Robinho, ídolo da torcida.

Fique de olho: Paulo Ricardo, bom zagueiro.


São Paulo: O Tricolor é uma incógnita para mim, pois acho que possui um bom time, contudo não vejo um espírito vencedor nestes jogadores. O atleta que mais representa o que eu quero dizer é Ganso, um craque, como potencial incrível e talento incontestável, porém não vejo esforço dele para se doar em campo pelo time. Com a lesão de Kardec, ainda achoque o São Paulo precisa de mais um atacante de área, já que não pode-se depositar muitas esperanças em Luís Fabiano. Além disso, a defesa ainda é um sério problema para o São Paulo, que pode ter sucesso com o retorno de Breno. Milton Cruz deve seguir no comando do time, que pode até brigar pela conquista do sétimo Campeonato Brasileiro.

Ponto fraco: A defesa, com os zagueiros que estão jogando, o São Paulo irá sofrer. A esperança é Breno.

Ponto forte: Qualidade técnica de seus meias e atacantes, que podem criar lances diferenciados e mudar uma partida.

Craque: Michel Bastos, não é o um Lucas, muito menos um Kaká, mas é um ótimo jogador e criou identidade com a torcida.

Fique de olho: Ewandro, atacante que vêm aparecendo bem.


Sport: O time é bem parecido com o do ano passado, mas não vem rendendo o esperado. Tem uma boa defesa, com uma boa dupla de zaga e bons laterais, assim como um meio de campo forte e marcador. O problema vem sendo o ataque, que nçao vem marcando muitos gols. Para isso, o "brocador" Hernane foi contratado. É um candidato a rebaixamento, mas pode surpreender.

Ponto fraco: Setor ofensivo, que pode melhorar com a chegada de Hernane.

Ponto forte: Setor defensivo, marcador e já entrosado.

Craque: Diego Souza, jogador que poderia ser titular em clubes de maior expressão.

Fique de olho: Alex Silva, bom lateral direito, porém pouco pode jogar no Atlético Mineiro, mas foi sombra de Marcos Rocha.


Vasco da Gama: Mesmo sendo o Campeão Carioca de 2015, não levo fé neste time. Pouco mudou da equipe que teve dificuldades para subir na Série B do ano passado, mas a mudança de técnico fez muito bem. Dagoberto é a principal atração, e isso dá confiança ao clube, pois trata-se de um atleta vencedor. Acho que Guiñazu assume muita responsabilidade no time, inclusindo ajudando na armação, o que é o ponto fraco do argentino. Minha aposta: o Vascão vai ficar no meio da tabela, sem sustos com rebaixamento e sem chances de Libertadores.

Ponto fraco: Criação de jogadas no time.

Ponto forte: O equilíbrio da equipe.

Craque: Dagoberto, o "papa-títulos"

Fique de olho: Mosquito, atacante jovem que já esteve nas Seleções de base do Brasil.



imagens adaptadas por Eduarda Guidarini

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: