Diário da Copa - Dia 9

As equipes fizeram um começo de jogo equilibrado, procurando se conhecer dentro de campo. A Costa Rica me surpreendeu, indo para cima da "Azzurra". Levava muito perigo a cada escanteio, que além de bem cobrado tinha bons cabeceadores. A Itália por sua vez, pouco chegava e não conseguia trabalhar a bola por muito tempo. Com esse problema, a Seleção Italiana recorria a lançamentos a Balotelli, que quando não partia para cima da zaga costarriquenha, escorava a bola para os meias chegarem chutando. Buffon precisou fazer duas boas defesas em chutes de longa distância, mas também falhou duas vezes em saídas de bolas. Aos 42 minutos, Chiellini derrubou Joel Campbell na área após bela jogada do costarriquenho, porém o juíz mandou o jogo seguir, na sequência da jogada, Díaz deu belíssimo cruzamento a bryan Ruíz, que de cabeça finalizou com categoria. A bola ainda tocou no travessão e no chão, mas mesmo com o recuro tecnológico não haviam dúvidas, Costa Rica 1x0. Voltando do segundo tempo, Cassano entra no lugar de Thiago Motta, deixando a Itália mais ofensiva. O goleirão Navas trabalhou duas vezes logo no início da segunda etapa no chute de Darmian e na boa falta batida por Pirlo. Insigne e Cerci também entraram e os italianos começaram a pressionar. Em contra-partida, a Costa Rica levava perigo com lançamentos longos a seus atacantes velozes. A equipe europeia não conseguiu penetrar a boa defesa costarriquenha, que com a segunda vitória inesperada na Copa está classificada no grupo da morte. De saco de pancadas à grande zebra da Copa do Mundo até o momento, a surpreendente Costa Rica está nas oitavas.

Craque do Jogo: Júnior Díaz (Costa Rica)
Árbitro: Enrique Osses (Chile)
Gols da partida: Bryan Ruíz (43')



A França começou melhor a partida, tanto é que marcou dois gols em sequência. Primeiro Girou fez de cabeça. Na saída de bola no meio de campo, a Suíça deu a bola de bandeija para Benzema, o atacante tocou para Matuidi marcar o segundo gol dos "Bleus". A Suíça chegou a balançar as redes francesas, porém Xhaka estava em posição irregular. Pouco depois a França teve a chance de marcar o terceiro gol de penalti, mas Benzema cobrou mal e Benaglio defendeu, no rebote Cabaye acertou a trave. Sete minutos mais tarde, Giroud afastou de cabeça cruzamento suíço, puxou contra-ataque,toca para Varane que devolve ao atacante, ele avança pela ponta esquerda, passa para Valbuena na área e deixa o camisa oito livre para marcar o terceiro. Mesmo com o belíssimo resultado adquirido no primeiro tempo, a França não parou no segundo. Em grande lançamento de trivela de Pogba, Benzema, que havia perdido uma penalidade, marcou o seu. Aos 27, foi a vez do artilheiro virar garçom e servir Sissoko para arcar o quinto. Após o quinto gol, a Seleção Francesa disperdiçou muitas oportunidades. Quando esperava-se uma goleada ainda maior francesa, Dzemaili cobrou falta forte e rasteira, a bola passou por baixo de Sakho e entrou no cantinho. Aos 41, Xhaka recebeu belo lançamento e marcou o segundo gol da Seleção Suíça. O árbitro encerrou o jogo aos 48 minutos, mas por não ter ouvido o apito a França continuou a jogar e marcou o sexto com Benzema, mas como o juízão já havia decretado o fim, não valeu. Grande futebol vem apresentando a França.

Craque do Jogo: Karin Benzema (França)
Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)
Gols da partida: Giroud (17'), Matuidi (18'), Valbuena (40'), Benzema (67'), Sissoko (73'), Dzemaili (81') e Xhaka (87')




As duas seleções entraram dispostas a vencer para continuarem vivos na competição. O Equador mostrou mais intimidade com a bola, já Honduras batia muito e jogava pouco. Na base do chutão, a Seleção Hondurenha abriu o placar com Costly, que após corte lançamento ficou com a sobra na dividida e não perdoou. Três minutos depois, Enner Valencia empatou o jogo ao aproveitar um chute cruzado. No segundo tempo, o atacante equatoriano marcou aos 20 minutos pela segunda vez no jogo e a terceira na Copa. Ayoví cobrou boa falta para área e Valencia desviou para o gol, virando o confronto. Honduras esboçou uma pressão usando sua estratégia de ligação direta defesa-ataque, mas não obteve sucesso. O Equador ainda teve um gol polemicamente anulado no final da partida, mesmo assim saiu vitorioso e esperançoso.

Craque do Jogo: Enner Valencia (Equador)
Árbitro: Benjamin Williams (Austrália)
Gols da partida: Costly (31') e Enner Valencia (34' e 65')


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: