Diário da Copa - Dia 11

A Bélgica iniciou o jogo com mais volume, procurando mais o jogo e levando mais perigo. A Rússia apostava nos contra-ataques e levava perigo com chutes de longa distância que exigiram seguras defesas de Courtois. O que faltava na Bélgica era um volante que marcasse forte. Fellaini, Witsel e De Bruyne faziam uma linda de três no meio de campo, com Witsel mais recuado. Todos sabemos que são três grandes jogadores, mas nenhum é um marcador nato. Talvez fosse interessante que Defour saísse como titular jogando como volante. Outro aspecto em que a Bélgica ficou devendo foi nos chutes, o time criava boas jogadas pelos lados com Mertens e Hazard, mas faltava um chute, que poderia ser executado com Januzaj ou Dembélé em campo. No segundo tempo, Capello fechou ainda mais a Seleção Rússia, fazendo com que a Bélgica não tivesse espaços para criar jogadas. A partir dos 38 minutos, Hazard resolveu entrar no jogo e criou grandes oportunidades. A primeira sofreu falta e Mirallas cobrou na trave. Em outras duas, quase marcou. Aos 42, driblou um marcador, foi até a linha de fundo e Origi fez o primeiro gol belga na partida. Antes do fim, Hazard ainda fez mais uma bela jogada em velocidade, deixando Mirallas cara-a-cara com Akinfeev, mas o atacante finalizou mal. A Bélgica expanta as zebras e se garante nas oitavas.

Craque do Jogo: Eden Hazard (Bélgica)
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)
Gols da partida: Origi (87')


O jogo começou equilibrado, mas a Argélia mostrava mais habilidade e entrosamento. Primeiramente, teve um penalti não marcado por Wilmar Roldán em Feghouli. Inaugurou o placar com Slimani aos 26, em um longo lançamento vindo da zaga, o atacante ganhou de dois marcadores coreanos na velocidade e tocou na saída do goleiro. Dois minuots depois, Halliche subiu mais que a defesa adversária e contou com a saída ruim do goleiro para ampliar. A Seleção Coreana não esboçava reação, perdendo inclusive a confiança. Em todo primeiro tempo a equipe asiática não exigiu nenhuma defesa de M'Bolhi. Aos 38 minutos, Slimani serviu Djabou, que de canhota colocou no cantinho e marcou o terceiro. A Córeia do Sul voltou melhor para o segundo tempo, e diminuiu a vantagem aos cinco minutos, quando Son Heung Min dominou "sem querer" de costas, ajeitou para a esquerda e fuzilou. O gol renovou as esperanças e a confiança coreana, que começou a pressionar a agora retrancada Argélia. Em uma escapada do campo despretenciosa argelina, Feghouli fez linda jogada, tabelou com Brahimi e deixou o colega "na boa" para ampliar a goleada. Aos 27, após levantamento na área, Koo Ja Cheol marcou o segundo gol coreano. A Seleção Coreana tentou até o final levantar bolas para a área argelina, mas não conseguiu mais nada. Com o resultado o time africano joga por um empate diante da Rússia para garantir sua vaga nas oitavas.

Craque do Jogo: Islam Slimani (Argélia)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Gols da partida:
 Slimani (26'), Halliche (28'), Djabou (38'), Son Heung Min (50'), Brahimi (62') e Koo Ja Cheol (72')


Logo aos quatro minutos Miguel Veloso cruzou rasteiro, Cameron cortou mal a bola que sobrou para Nani abrir o placar. Os americanos não se abateram e arriscaram uma pressão logo em seguida. Portugal mesmo vencendo não deixou de atacar, deixando o jogo aberto. Dempsey jogou como atacante com o desfalque de Altidore, levando perigo a Beto. No final do primeiro tempo, Nani arriscou chute forte, Howard furou e a bola explodiu na trave, no rebote Éder chutou e Howard se redimiu com grande defesa. Na volta do intervalo, Paulo Bento trocou André Almeida por William Carvalho, deslocando Miguel Velloso para a lateral esquerda. E bem por esta posição os E.U.A. criavam suas jogadas. Aos dezoito minutos, Jones acertou um grande chute de fora da área, sem chances de defesa ao goleiro Beto, empatando o jogo. Portugal se lançou ao ataque coma entrada de Varela no lugar de Raúl Meirelles, pois o empate não o ajudava muito. Só que esqueceram que os americanos também queriam vencer para garantir matematicamente sua classificação. Aos 36 minutos, Zusi cruzou e de barriga o craque Dempsey virou o confronto. O drama português aumentou ainda mais, pois estaria desclassificado com a derrota. Quando tudo parecia acabado, Cristiano Ronaldo deu um cruzamento espetacular para Varela empatar e ainda ver uma luz no fim do túnel.

Craque do Jogo: Tim Howard (E.U.A.)
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Gols da partida:
Nani (5'), Jones (64'), Dempsey (81') e Varela (93')


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: