Top 10 Maiores Jogadores Alemães da História

10 - Oliver Kahn: Único goleiro a conquistar o prêmio de melhor jogador de uma Copa do Mundo. Kahn era um goleiro incrível, que possuía uma colocação e uma elasticidade impressionante. Também era um líder dentro de campo, orientando a equipe e indo até para a briga se fosse preciso, dada a sua tamanha dedicação aos clubes que passou. Seu primeiro clube foi o Karlsruher, onde teve seis anos de ótimas atuações. Em 1994, foi contratado pelo Bayern, onde tornou-se um "mito". Conquistou tudo que tinha direito: Copa da UEFA (1996), UEFA Champions League (2000/2001), Mundial de Clubes, seis Copas da Alemanha e a Bundesliga oito vezes. Defendeu o clube bávaro por catorze anos, somando mais de 600 atuações. Teve o mérito de ser eleito duas vezes o melhor jogador da Bundesliga em 2000 e 2001, além de melhor goleiro do mundo em três oportunidades. Pela Seleção Alemã, Kahn conquistou a Euro de 1996, foi vice-campeão da Copa de 2002, além de também ter disputado os mundiais de 1998 e 2006, ficando na reserva nestes dois. Anunciou sua aposentadoria em 2008.


9 - Manuel Neuer: Eis o goleiro mais completo da história. Neuer domina todos os recursos necessários para ser um goleiro, tem grande impulsão, reflexo, elasticidade, boa reposição de bola e ainda sabe muito bem jogar com os pés, podendo até se tornar um líbero na formação da equipe, o que pode torná-lo uma espécie de "décimo segundo jogador". Integra a Seleção Alemã desde 2009, disputando duas Copas do Mundo como titular. Em 2014, foi o melhor goleiro da Copa do Mundo, além de campeão com seu país. Nas últimas três eleições, faturou os três prêmios de melhor goleiro do mundo. Nascido em Gelsenkirchen, começou sua carreira no Schalke 04, onde teve cinco anos brilhantes e conquistou a Copa da Alemanha 2010/2011. Na temporada seguinte ao seu único título com seu time de coração, foi vendido ao Bayern por cerca de dezoito milhões de euros. Aos 30 anos de idade, Manuel segue sendo o melhor goleiro do mundo, e talvez da história, tendo grandes performances no clube bávaro. Já conquistou a Bundesliga três vezes, uma Liga dos Campeões e um Mundial de Clubes, mas com muitos anos pela frente vai aumentar ainda mais sua "estante de troféus".


8 - Matthias Sammer: Conhecido como "cabeça de fósforo", pelo fato de ter cabelos ruivos, Sammer foi um dos principais nomes da Seleção Alemã nos anos 90. Iniciou sua carreira esportiva no Dínamo Dresden, e com as grandes atuações obtidas, transferiu-se para o Sttutgart em 1990, onde atuou por dois anos e foi peça chave na conquista do primeiro campeonato alemão reunificado (Alemanha ocidental e oriental), na temporada 1991/92. A grande performance do defensor chamou atenção da Internazionale de Milão, que desembolsou uma farta quantia de libras para levá-lo à Itália. Na Série A, Sammer teve um bom desempenho nas primeiras partidas, porém, não conseguiu adaptar-se ao estilo de vida italiano, optando por voltar à Alemanha após doze partidas. Assinou com o Borussia Dortmund, onde jogou até "pendurar as chuteiras", conquistando nada menos que duas Bundesligas e uma Liga dos Campeões. Tornou-se um dos maiores ídolos do time de Dortmund nesta década. Pela Seleção, o zagueirão teve grande destaque na Copa do Mundo de 1994 onde foi considerado o melhor jogador de seu país no torneio, mas seu grande momento foi na Eurocopa de 1996, na qual Sammer foi eleito o melhor jogador da competição e ainda sagrou-se campeão com seu país. Este brilhante zagueiro também costumava se destacar marcando muitos gols, somando em toda a sua carreira aproximadamente 115 gols, números que muitos atacantes não conseguiram alcançar. Matthias era incansável em campo, correndo e se movimentando praticamente o tempo todo em uma partida. Quando atuava como líbero, aventurava-se ao ataque corriqueiramente, finalizando muito bem sempre que tinha oportunidades. Sammer também foi o vencedor da Bola de Ouro de 1996.


7 - Wolfgang Overath: Era considerado, por seus colegas de seleção, o coração do time da Alemanha, executando o papel de homem de ligação do time, com lançamentos e passes precisos, além de desarmes. Quando aparecia ao ataque, desferia chutes muito potentes com sua perna esquerda. Em três Copas disputadas, foi vice-campeão em 1966, terceiro colocado na Copa do Mundo de 1970, na qual marcou o gol que garantiu a medalha de bronze na disputa de terceiro e quarto lugar, e para finalizar suas participações em mundiais, foi campeão da Copa de 1974, quando marcou duas vezes e foi um dos craques do torneio. Sendo assim, Overath subiu ao pódio em todas as Copas do Mundo que participou. Sua carreira em  clubes foi dedicada inteiramente ao Colônia, time pelo qual disputou 409 partidas e anotou 83 gols, tendo como grande conquista a Bundesliga 1963/1964.


6 - Karl-Heinz Rummenigge: Fatal nas cabeçadas e nos chutes de perna direita, foi um grande atacante do futebol alemão. Possuía um faro de gol incrível, além de muita habilidade, mostrando muita regularidade por onde passou. Jogou por dez anos no Bayern, onde marcou 162 gols, conquistou duas vezes a Bundesliga e a Champions League e foi idolatrado. Em 1984, transferiu-se para a Inter de Milão, jogando na Itália por três anos e sofrendo com muitas contusões, que lhe permitiram entrar em campo em apenas 64 partidas. Nos seus últimos dois anos da carreira, jogou no Servette da Suíça. Diferente da maioria dos atacantes alemães da época, que eram altos, fortes e lentos, ficando na maior parte do tempo esperando os meias criarem oportunidades para finalizar, Rummenigge não só era finalizador, como buscava muito o jogo e criava oportunidades para os companheiros. Foi eleito pela revista France Football o melhor jogador do mundo duas vezes (1980 e 1981), recebendo o premio da Bola de Ouro. O atacante não teve o privilégio de vencer nenhuma Copa, já que em 1982, foi vice-campeão, sendo derrotado pela Itália de Rossi, e em 1986, não foi diferente, perdendo a final para a Argentina de Maradona. Marcou 45 gols em 95 internacionalizações pela Alemanha Ocidental. Karl-Heinz não fez sucesso apenas nos gramados, mas também como diretor esportivo do Bayern de Munique e como presidente do ECA (European club association).


5 - Paul Breitner: Famoso pelo seu cabelo black power, as costeletas e bigodão, Breitner começou a carreira como lateral-esquerdo, porém, pela sua categoria e habilidade, foi testado no meio de campo, onde rendeu ainda mais. Este craque foi um dos quatro jogadores da história a marcar gols em duas finais de Copa (em companhia de Pelé, Vavá e Zinedine Zidane). Paul foi um jogador de muita técnica, de ótimos passes e de um grande chute. Iniciou e finalizou sua carreira no Bayern, onde consagrou-se como um maiores ídolos da história do clube ao conquistar cinco vezes a Bundesliga e uma Champions. Também teve uma grande passagem pelo Real Madrid, somando a seu currículo dois títulos do Campeonato Espanhol, e uma ctemporada pelo Braunschweig. Pela Seleção Alemã, Breitner entrou em campo 48 vezes, sagrando-se campeão da Copa de 1974 e da Euro 1976.


4 - Jurgen Klinsmann: Jogou como atacante e, graças aos seus cabelos loiros e a sua habilidade de marcar gols, recebeu o apelido de "Golden Bomber" (Bombardeiro Dourado). Klinsmann comportava-se em campo como um centroavante rápido, movimentando-se no ataque, ajudando na marcação e finalizando com extrema maestria de todas as formas. Destacou-se primeiramente no Sttutgart, onde jogou por cinco temporadas e foi artilheiro da Bundesliga em algumas temporadas, transferindo-se depois para a Inter de Milão em 1989. Na Itália fez grande parceria com o compatriota Lothar Matthaus, sagrando-se campeão da Copa da UEFA. Daí pra frente Klinsmann se aventurou por diversos países, como França (Monaco), Inglaterra (Tottenham), Alemanha (Bayern) e Estados Unidos (Orange County Blue Stars), deixando seus belos gols na memória dos torcedores destas equipes. Pela Seleção Alemã, Klinsmann disputou as três Copas dos anos 90, vencendo a primeira. Também disputou as Olimpíadas de Seoul e as Eurocopas de 1992 e 1996, vencendo a segunda. Marcou 47 vezes em 108 jogos pela Alemanha. Após aposentar-se, virou técnico de futebol, comandando a Seleção Alemã, logo depois o Bayern e desde 2011 vem fazendo um excelente trabalho na Seleção dos Estados Unidos.


3 - Gerd Müller: Müller foi um dos atacantes mais goleadores da história. Sua média de gols é incrível, chegando a fazer pelo seu primeiro clube, o Nordlingen, e pela sua Seleção Alemã mais gols do que jogos disputados. Em Nordlingen, cidade onde nasceu e começou a jogar futebol, Gerd marcou incríveis 51 gols em 31 jogos, chamando a atenção do Bayern, que o contratou. Pelo time de Munique foram doze anos de atuações brilhantes, vencendo quatro vezes o Campeonato Alemão e três Champions League. Obteve a marca de maior artilheiro da história do clube bávaro, com 566 gols em 607 jogos, assim como da Bundesliga, na qual foi o maior goleador em sete oportunidades. Sobre Gerd no Bayern de Munique, Beckenbauer uma vez disse: "Tudo que o Bayern se tornou se deve ao Gerd Müller e aos seus gols. Se não fosse por ele, ainda estaríamos em uma velha barraca de madeira". No ano de 1970, o atacante alemão venceu o prêmio da Bola de Ouro. Antes de "pendurar as chuteiras", Müller ainda jogou no Fort Lauderdale Strikers, do futebol Norte-Americano. Pela Seleção Alemã, ganhou a Copa de 1974 e a Euro de 1972. Müller era o maior artilheiro da história das Copas do Mundo, com 14 gols anotados, até ser superado por Ronaldo em 2010 (Klose superou Ronaldo em 2014), porém Ronaldo disputou quatro Copas, enquanto Müller apenas duas. Após aposentar-se, Gerd sofreu com depressão e alcoolismo, até ser amparado pelo Bayern e seus antigos companheiros, que lhe ajudaram com o tratamento e fizeram ele assumir o comando técnico dos reservas do time de Munique.


2 - Lothar Matthaüs: Melhor jogador do mundo pela FIFA em 1991. Brilhou em saua carreira por ser um volante completo para a função, sendo muito eficiente, técnico, veloz e finalizador. Além disso, obtém grandes recordes, como o de ser o jogador que mais vestiu a camisa da Alemanha (150 jogos),  um dos únicos atletas a participarem de cinco Copas do Mundo, assim como de ser o jogador com maior número de partidas do torneio, no qual teve a proeza de ser campeão em 1990. Por conta de seu temperamento forte, fez inúmeras inimizades no meio futebolístico. Lothar debutou profissionalmente em 1979 pelo Mönchengladbach, sendo esse um dos mais vitoriosos clubes alemães dos anos 70. Em 1984, foi contratado pelo Bayern, onde foi ídolo e sagrou-se tri-campeão da Bundesliga em 1985,1986 e 1987. No ano seguinte, trocou o futebol alemão pelo italiano, acertando transferência para a Inter de Milão. Em um dos campeonatos mais disputados de todos os tempos, Matthaus conduziu a Inter ao título, superando o Napoli de Careca e Maradona, na Serie A 1988/1989. Com suas primorosas atuações pelo time italiano, foi chamado de o Rei de Milão. Porém, a trajetória na Inter acabou interrompida por uma séria lesão no joelho, que o fez retornar para o Bayern e recuperar-se em seu país. Na volta ao clube, Matthaüs conviveu com bons momentos, lesões que tiraram-no de duas Eurocopas e intrigas com Klinsmann e Effenberg. Mesmo assim, teve importantíssimas participações em mais três conquistas da Bundesliga. Em 2000, o craque saiu brigado com diretores do Bayern e rumou ao New York Red Bulls, encerrando sua carreira. Fora dos gramados também conseguiu obter títulos comandando o Partizan e o Red Bull Salzburg. Também foi treinador do Rapid Viena, do Atlético Paranaense e ainda das Seleções da Bulgária e da Hungria.


1 - Franz Beckenbauer: Conhecido como "Kaiser", que em alemão significa imperador. Na infância, Franz era um futuro bom jogador de tênis, assim como Sepp Maier, seu amigo. Ao perceber que tinha muito talento com a bola nos pés, e que seu amigo era bom com a bola nas mãos, convenceu-o de jogar futebol e Beckenbauer provou que tinha razão nos dois casos. Foi um dos zagueiros mais técnicos e completos do mundo, desarmando adversários com muita facilidade, marcando de maneira eficaz e anotando muito gols, cerca de 100 em toda a carreira. Franz disputou três Copas do Mundo (1966/1970/1974), conquistou uma delas e foi eleito o melhor zagueiro de todas elas. Além disso, na edição 1966, com apenas 20 anos, Beckenbauer marcou 4 gols e além de ser o melhor defensor foi também premiado também como a revelação do torneio. Se tecnicamente já era idolatrado em sua pátria, tornou-se ainda mais quando na semi final da Copa de 1970 atuou toda a prorrogação com a clavícula quebrada, mostrando sua raça e dedicação à seleção. No Mundial de 1974, foi o capitão da Alemanha Ocidental campeã mundial. Como se não bastasse, após encerrar sua carreira, assumiu o posto de técnico da Alemanha e foi a mais duas finais. Em 1986 perdeu, mas em 1990 foi vencedor, tornando-se o segundo vencedor de Copas do Mundo como jogador e treinador (o outro é Zagallo). Em clubes, atuou por 13 anos no Bayern, onde é considerado maior ídolo da história do clube. Em sua enorme estante de títulos conquistados pelo time de Munique pode mos citar: UEFA Champions League três vezes, quatro Bundesligas, um Mundial de Clubes e a Copa da Alemanha em quatro oportunidades. Em 1977, deixou o Bayern para se juntar a Pelé no New York Cosmos, vencendo a Liga Norte Americana. Em 1980, retornou ao seu país para jogar no Hamburgo por duas temporadas e ainda com esperança de atuar no mundial de 1982. Como não foi convocado, decidiu jogar mais uma temporada no Cosmos e se aposentar. Também foi técnico e presidente  do Bayern, sendo campeão de uma Copa da UEFA e uma Bundesliga.



Fontes: Onzeideal; Wikipedia

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

2 comentários:

  1. O blog é muito bom, mas incluir Klinsmann e Sammer em uma lista e esquecer Fritz Walter, Sepp Maier, Seeler e outros, no mínimo demonstrou falta de pesquisa e conhecimento do futebol alemão.

    ResponderExcluir