Seleção da Vigésima Nona Rodada do Brasileirão

1 - Felipe (Flamengo) - Em boa fase, vem saindo muito bem do gol nas bolas aéreas. Não teve culpa no golaço do Bahia. Foi o herói do jogo ao fazer uma defesa espetacular no último minuto de jogo. Nota: 8,5.

2 - Léo (Atlético Paranaense) - Fez uma grande partida defensivamente. Tinha a missão de conter as investidas de Fernandinho e Luan, que viviam caindo pelo seu setor, e teve muito sucesso. Quando pintou uma oportunidade, apoiou. Nota: 8.

3 - Lima (Portuguesa) - Foi impecável nas bolas aéreas. Bem também por baixo e na marcação de Wellington Paulista. Nota: 8.

4 - Rodrigo (Goiás) - Fez uma partida extremamente segura. Não deu brechas, ganhando todas as bolas disputadas na partida. Além de fazer seu papel defensivamente, fez o primeiro gol da equipe Nota: 9.

5 - Nilton (Cruzeiro) - Firme na marcação e nos desarmes. Não deu espaços para os jogadores velozes do Flu. Nota: 7,5.

6 - Uendel (Ponte Preta) - Sem comprometer na defesa, Uendel ainda foi ao ataque marcar o gol da vitória da macaca. Nota: 8.

7 - Gilberto (Portuguesa) - Decisivo como de hábito, marcou o primeiro gol da Lusa, e ainda deu uma assitência. Chegou a artilharia do campeonato, junto de Éderson. Nota: 8,5.

8 - Maxi Rodriguez (Grêmio) - Mudou o jogo quando entrou em campo. Deu bons passes e deu trabalho a defesa do Corinthians. Deu uma grande assistência a Barcos. Nota: 8.

9 - Hernane (Flamengo) - Buscou muito o jogo, se movimentando até fora da área. Fez o gol da vitória do rubro-negro no final do jogo. Nota: 8.

10 - Ganso (São Paulo) - Deu show novamente! Lindos passes e dribles durante toda a partida. Organizou o meio campo da equipe, e para coroar sua atuação, fez um golaço, fintando três marcadores e finalizando com muita categoria. Nota: 9.

11 - Barcos (Grêmio) - Raçudo, o gringo brigou muito com a boa defesa corinthiana. Fez um belo gol, garantindo o Grêmio na segunda colocação. Nota: 8,5.

TÉCNICO: Guto Ferreira (Portuguesa) - Mandou o time para frente desde o início do jogo para definir a partida e aproveitar os contra-ataques. Após fazer o primeiro gol, como planejado, pediu para os atacantes pressionarem a saída dos zagueiros do tigre, e foi desta forma que o segundo gol foi originado. Nota: 8.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: