Seleção da Trigésima Primeira Rodada do Brasileirão

1 - Jéfferson (Botafogo) - Com belas defesas que passaram muita segurança ao time, garantiu a importante vitória. Nota: 8.

2 - Léo Moura (Flamengo) - Foi o único jogador do time que tentou alguma coisa. Com jogadas de linha de fundo levou perigo a Lusa. Nota: 7.

3 - Leandro Almeida (Coritiba) - Soberano na partida, não deixou nenhum jogador do time gremista passar por ele. Destaque principal pelo bom desempenho na bola aérea. Nota: 8.

4 - Dória (Botafogo) - Voltou a jogar bem, passando segurança, fazendo bons desarmes e cortes. Nota: 7,5.

5 - Amaral (Goiás) - Foi impecável na marcação, não dando espaços aos velozes jogadores do Náutico. Além de tudo, ainda fez o segundo gol do time goiano. Nota: 8,5.

6 - Uendel (Ponte Preta) - Não teve problemas com a marcação. No apoio apareceu diversas vezes para contribuir o time. Buscou a vitória todo o tempo. Com muita raça, contou com a falha do goleiro vascaíno e marcou o gol que deu a vitória e renovou as esperanças do time de permanecer na Série A. Nota: 8.

7 - Marquinhos (Vitória) - "Tocou o terror" na defesa confusa do Flu com muita correria. Participous dos três gols, iniciando a jogada de dois deles e deixando o seu. Poderia ter se consagrado no final do jogo, mas perdeu um gol feito. Nota: 9.

8 - Alex (Coritiba) - Iniciou o jogo com tudo, marcando um gol logo de cara. Chamou jogo e controlou as jogadas do time com sua maestria. Nota: 8,5.

9 - Borges (Cruzeiro) - Foi um grande guerreiro em campo. No primeiro tempo levou azar em lances que pararam no goleiro Galatto e na trave. No segundo tempo foio grande jogador do time, marcando o gol do empate e da virada. Grande partida. Nota: 9.

10 - Éverto Ribeiro (Cruzeiro) - Mais uma vez provou porque é um dos candidatos a melhor jogador do campeonato. Abriu o placar em bonita jogada, deu um passe magnífico para o golaço de Dagoberto e organizou o time nos momentos adversos. Nota: 8,5.

11 - Aloísio (São Paulo) - Aproveitou sua velocidade e garra para não dar sossego a defesa do Inter. Incomodou o adversário em todos os lados do campo, correndo muito. Fez os três gols da partida, e enfim mostrou para o time quem é que sabe bater penalti lá. Nota: 9,5.

TÉCNICO: Ney Franco (Vitória) - O time teve um jogador expulso e mesmo assim se fechou bem. Quando tomou a virada, imediatamente mexeu no time e foi para cima do Fluminense. Com a entrada do talismã William Henrique, virou o jogo e conquistou uma grande vitória. Nota: 9.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: