Vai começar o Campeonato Catarinense 2017



Sempre equilibrado e concorrido, o Campeonato Catarinense reúne dez equipes, sendo cinco grandes favoritas e outras cinco com orçamento menor, mas que costumam surpreender. Saibam como chegam os clubes para a disputa:

Almirante Barroso: Praticamente todo o time que foi campeão da segunda divisão do Catarinense permaneceu, e como reforços, apenas Schwenck e Nei chamam a atenção. É um time muito muito forte fisicamente, e que joga um futebol de muita intensidade, mas eu acredito que para jogar na elite do futebol catarinense, o Almirante precisa de um pouco mais.

Avaí: Com o incrível acesso à Série A ano passado, a diretoria resolveu primeiro renovar os contratos dos jogadores que o técnico Claudinei desejou ter no elenco para 2017, porém não teve sucesso com o goleiro Renan, que foi para a Bulgária, com o zagueiro Fábio Sanches que transferiu-se para o Goiás, assim como Renato, que retornou ao Fluminense. Os principais reforços foram: Denílson, atacante do Granada, Gustavo, experiente zagueiro com passagens por Palmeiras e Bahia, o goleiro Douglas, ex-Corinthians, e o lateral Leandro Silva, que era jogador do rival Figueirense. Ainda chegaram ao Avaí alguns atletas não tão conhecidos, como o atacante Marcelinho e o zagueiro Salazar. No time principal, pouca coisa mudou do segundo turno da Série B de 2016 pra cá, mas o elenco ficou mais jovem. Obviamente, o Leão é um dos favoritos ao título, porém haverão poucos investimentos no primeiro semestre, o que nos leva a crer que após o Catarinense reforços mais conhecidos chegarão para a disputa do Brasileirão. Marquinhos continua sendo o craque do clube.

Brusque: O clube reuniu muitos nomes conhecidos do futebol catarinense, como os goleiros Dida e Rodolpho, o zagueiro Luiz Renan, o volante Diogo Roque, o meia Assis e o atacante Raphael Di Maria. Para completar o time, o Brusque ainda trouxe o conhecido zagueirão Gustavo Lazzaretti e o meia Boquita. Por ter um grupo com a média de idade um pouco alta, pode ter problemas físicos, mas no papel o time não deixa a desejar.

Chapecoense: Com a lamentável tragédia ocorrida no final de 2016, a Chape teve que montar um elenco inteiramente novo. Além de toda a carga emocional, o time terá inúmeras dificuldades neste ano, já que irá disputar torneios de altíssimo nível, como o Brasileirão pelo quarto ano seguido, a Recopa Sul-americana, a Primeira Liga, a Libertadores, o Catarinense e mais alguns torneios amistosos. Os principais reforços do Verdão para este ano foram: o goleiro Elias, os laterais Zeballos, Diego Renan e Reinaldo, os zagueiros Douglas Grolli e Nathan, os volantes Andrei Girotto e Amaral, os meias Nadson, Osman e Dodô, e os atacantes Wellington Paulista, Arthur e Túlio de Melo. Apesar dos problemas e de dividir a atenção para muitas competições ao mesmo tempo, a Chape é sim uma das favoritas para o título estadual.

Criciúma: Apesar de não atingir seus objetivos no ano de 2016, a base do time foi quase toda mantida. Os principais reforços foram os atacantes Pimentinha e Caio Rangel e o lateral Maicon Silva. É bem provável que o estilo de jogo do time será o mesmo, ou seja, com forte marcação e rápidos contra-ataques. Outra novidade é o técnico do Tigre, o ex-atacante Deivid. Em minha opinião, o Criciúma pode surpreender, mas não o considero como um dos favoritos ao título.

Figueirense: Apesar de ter caído para a Série B do Brasileirão, o Figueira surpreendeu nas contratações feitas, trazendo reforços de Série A, como Zé Love, Leandro Almeida, Bill e Anderson Aquino, além de outros jogadores que podem ser boas apostas, casos de Weldinho, Luis Carlos, Elias, Hélder, Éverton e Juliano. Marquinhos Santos foi mantido no cargo, e conta com a experiência do zagueiro Marquinhos para comandar a equipe. A intenção do presidente do clube é montar um grupo forte já no começo do ano e entrosá-lo para os campeonatos mais importantes que virão na sequência do ano. O Figueirense entra como um dos favoritos ao título na competição.

Inter de Lages: Disposto a continuar na primeira divisão de Santa Catarina, e de alcançar algo a mais em competições nacionais, o Inter montou um elenco parecido com os dos dois últimos anos. Muitos jogadores que já criaram identificação com a cidade e com o clube permanecem, como o goleiro Neto Volpi, o volante Schmöller e o meia André Gava. Enercino, experiente meia, é o principal reforço do Leão Baio para a competição. Em minha visão, o time não é muito forte no papel, mas confio na gestão do presidente Cristopher Nunes e acredito que a equipe surpreenderá e ainda revelará bons talentos.

Joinville: Com o amargo rebaixamento para a Série C, muita coisa mudou no clube, que renovou com pouquíssimos jogadores. De mais conhecidos, os que chegarão foram o veterano meia Lúcio Flávio, os atacantes Ciro, Fabinho Alves e Bruno Batata, o lateral Alex Ruan e o zagueiro Henrique. O JEC também viverá um ano complicado, já que a queda do orçamento é enorme para um time que cai da primeira para a segunda divisão, e logo em seguida para a terceira. É difícil fazer previsões para um time com tantas mudanças, mas para um time da Série C até que o elenco não é ruim. 

Metropolitano: Dentre os principais reforços do clube, podemos citar: os conhecidos da torcida Trípodi, Elton, Mazinho e Thiago Cristian, além de Maranhão, lateral ex-Santos, e Max Carrasco. Como de costume, o "Metro" promete ser a sexta força do campeonato, e brigar por algo a mais do que apenas a permanência. 

Tubarão: Com uma gestão diferenciada da maioria dos clubes do Brasil, o Tubarão promete crescer muito nos próximos anos. O time, que recém subiu à primeira divisão do estadual, fez bons negócios, trazendo jogadores como os zagueiros Gustavo Bastos, ex-Avaí, e Alex, o conhecido atacante colombiano Rentería, os meias Ricardo Conceição e Lucas Crispin, e os atacantes Valdo Bacabal e Rafael Ratão. Creio que o Tubarão será a grande surpresa da competição, podendo brigar pelas primeiras colocações.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: