Seleção da Décima Terceira Rodada do Brasileirão 2015

1 - Fernando Prass (Palmeiras): Se não fosse Prass, o Verdão poderia até ser derrotado com uma grande diferença de gols. Com defesas muito difíceis, principalmente com os pés, garantiu o empate. Nota: 8.

2 - Galhardo (Grêmio): Boa atuação, defendendo com tranquilidade e levando perigo nos apoios. Deu o cruzamento que resultou no gol contra. Nota: 7,5.

3 - Emerson (Avaí): Consertou alguns erros de seu companheiro Jeci, que não fez boa partida. Saiu jogando com tranquilidade em algumas jogadas, fez cortes providenciais e marcou o primeiro gol da noite. Nota: 8.

4 - Réver (Internacional): Soberano na defesa, afastando os poucos perigos que o JEC ofereceu. Marcou o primeiro gol do time em bela cabeçada. Nota: 8.

5 - Elias (Corinthians): Melhor em campo no Maraca. Marcou o primeiro gol aproveitando muito bem o rebote do goleiro. Em seguida, deu o passe Jádson balançar as redes. Além de tudo, marcou muito bem, deu bons passes e desarmou jogadores do Flamengo. Nota: 9.

6 - Uendel (Corinthians): Defendeu bem e ao ir para o ataque marcou o segundo gol do Timão. Nota: 7,5.

7 - Gabriel (Santos): Participou de todos os gols da equipe, marcando um deles. Chamou a responsabilidade pra si e foi para cima do Figueira. Nota: 8.

8 - Giovani Augusto (Atlético Mineiro): Ditou o ritmo do Galo na partida, distribuindo as jogadas no meio campo, puxando contra-ataques e marcando o segundo gol do time. Nota: 8,5.

9 - Fred (Fluminense): Sempre decide nos momentos de maior dificuldade. O jogo estava em aberto e Fred deu linda assistência para Scarpa inaugurar o placar. O Atlético empatou, mas no último lance da partida, o atacante "achou" um gol finalizando com categoria o cruzamento que veio da direita. Nota: 8,5.

10 - Renato Augusto (Corinthians): Em linda tabela, deixou Uendel na boa para marcar o segundo gol da equipe. Foi o maestro do time, fazendo com que todos as bolas no ataque passassem por ele. Nota: 8. 

11 - Alexandre Pato (São Paulo): Deu um show, com lances geniais. Primeiro, fez grande jogada e assistência para Centurión marcar. Depois marcou dois belos gols em lances individuais. No restante da partida, participou muito do jogo e levou perigo a todo instante. Nota: 9,5.

TÉCNICO: Tite (Corinthians): Aproveitou que o adversário estava fragilizado com desfalques e foi para cima. Mandou no jogo do começo ao fim e goleou fora de casa. Nota: 9.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: