Seleção da Sétima Rodada do Brasileirão 2015

1 - Marcelo Lomba (Ponte Preta): Com pelo menos quatro boas defesas, salvou sua equipe da derrota. Nota: 8.

2 - Nino Paraíba (Avaí): Teve uma grande tarde, sendo o jogador que mais conseguiu criar oportunidades com o campo encharcado. Levou a melhor mano-a-mano em praticamente todas as disputas. Deu dribles, bons passes e não teve problemas no setor defensivo. Nota: 8.

3 - Marquinhos (Figueirense): Mostrando novamente sua aptidão para marcar gols, inaugurou o placar na Ressacada. No setor defensivo, teve boa atuação também, anulando André Lima. Nota: 8.

4 - Rhodolfo (Grêmio): Anulou Walter, venceu tudo na bola aérea e ainda marcou o gol da vitória. Nota: 8,5.

5 - Souza (São Paulo): Marcou muito bem e conseguiu desarmar muitas vezes os meias da Chape. Ajudou na criação de jogadas e marcou o gol da vitória em um lindo chute. Nota: 8,5.

6 - Victor Ferraz (Santos): Improvisado, rendeu mais no que a posição original. Deu duas lindas assistências para os gols santistas. Nota: 8.

7 - Nilmar (Internacional): Mesmo em um jogo ruim de seu time, o atacante conseguiu se destacar individualmente. Marcou um bonito gol ao tabelar com Rafael Moura e levou perigo até o último minuto de jogo com sua movimentação e vontade. Nota: 8.

8 - Dátolo (Atlético Mineiro): Com passes de qualidade e movimentação, trouxe categoria para o meio campo do Galo. Marcou um dos gols da equipe também. Nota: 8.

9 - Leandro Damião (Cruzeiro): Marcou dois gols, mostrando muita qualidade. Geralmente é um atacante parado, esperando a oportunidade aparecer, mas vem evoluindo e buscando mais o jogo. Nota: 9.

10 - Renato Augusto (Corinthians): Foi um maestro para o Timão, ligando o meio campo ao ataque. Com velocidade e bons passes, fez grande jogadas. Originou a jogada em que Jadson fez o gol de falta e fez praticamente tudo sozinho no gol de Vagner Love. Nota: 8,5.

11 - Maikon Leite (Sport): Com sua velocidade, incomodou muito o sistema defensivo adversário. Para completar, foi o grande nome da partida novamente, marcando os dois gols do time em dois belos chutes. Nota: 9.

TÉCNICO: Juan Osório (São Paulo): O colombiano mostrou que estudou muito bem a Chapecoense, fechando as jogadas de linha de fundo e dificultando a criação de jogadas do Verdão do Oeste Catarinense. Nota: 8.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: