Preparativos para o Campeonato Catarinense 2015



Cada vez mais badalado, o Campeonato Catarinense conta com dez times novamente, porém com uma diferença, ao invés de um quadrangular final como na edição passada, teremos um hexagonal. Com isso, os chamados "grandes" do estado (Avaí, Chapecoense, Criciúma, Figueirense e Joinville) têm quase que uma obrigação de chegar às finais. Outra novidade está na arbitragem, com a chegada de Sandro Meira Ricci, representante do Brasil na última Copa do Mundo. Abaixo acompanhe como chegam os clubes participantes, qual seus pontos fortes, fracos e seus principais jogadores:


Atlético Ibirama: O Atlético manteve o técnico Sílvio Criciúma, assim como o lateral Cappa, que fez boas partidas em 2014, o atacante Adriano e o experiente volante Rodrigo Couto. Alemão, que foi emprestado para a Chapecoense no ano passado, retornou. Os principais reforços são os atacantes Jean Carlos, já ídolo em Ibirama, e Cassiano Bodini, jogador que atuou por diversos clubes italianos, além do zagueirão Rodrigo Milanez, peça chave na conquista do Inter de Lages da divisão especial ano passado, e Aelson (lateral esquerdo ex-Avaí). Provavelmente Sílvio terá um time muito forte fisicamente e ágil.

Ponto fraco: Os laterais são bons ofensivamente, porém têm dificuldade na marcação.

Ponto forte: Força física e velocidade.

Fique de Olho: Elivélton, meia de 21 anos que pertence ao Avaí e já teve boas passagens por Goiás e Grêmio Barueri.


Craque: Jean Carlos.


Avaí: O time que conquistou a vaga para a Série A em 2014 teve saídas. Dos que figuravam a equipe titular, Pablo, que havia sido um dos destaques do time, foi para a Ponte Preta, João Felipe foi para o Fluminense, Diego Jardel e Carleto foram ao Botafogo, Bocão mudou-se para o Goiás e Diego Felipe foi dispensado. Ainda terá quatro desfalques importantíssimos para iniciar a competição: Marquinhos e Roberto suspensos pela briga no clássico do ano passado, Antônio Carlos e Eduardo Costa com lesões graves. Dentre os reforços, André Lima é o mais badalado, porém está quase um ano sem jogar e torna-se uma incognita. Também desembarcaram na Ressacada: Denner (meia ex-Coritiba), William Rocha (zagueiro ex-Atlético Paranaense), Claudinei (volante ex-Atlético Mineiro), Renan Oliveira (meia ex-América Mineiro), Edinho (meia ex-Fortaleza), Ueliton (volante ex-Bahia), Sander (lateral ex-Rio Branco), Tinga (meia ex-Palmeiras), Jeci (ex-Coritiba) e Ronaldo Alves (ex-Criciúma). Fora das quatro linhas, também contratou um grande diretor de futebol, trata-se de Carlos Arini.


Ponto fraco: O desentrosamento da equipe, que para iniciar o campeonato terá pouquíssimos remanescentes de 2014. 

Ponto forte: A juventude. Como sabemos, o Leão vem sofrendo a anos com a falta de velocidade, principalmente quando Eduardo Costa e Marquinhos jogam juntos. Os reforços são jogadores de mobilidade e disposição. Para completar o elenco, bons valores das categorias de base foram promovidas.

Fique de Olho: Rômulo, atacante técnico, entrou bem na reta final da Série B 2014 e vem se destacando na pré-temporada.


Craque: Marquinhos.


Chapecoense: Muito bem administrada, a "Chape" está bem financeiramente e foi o time que mais desembolsou. Primeiro contratou o técnico Vinícius Eutrópio, depois investiu forte em nomes já conhecidos no cenário nacional, como: Apodi (lateral ex-Vitória), Richarlyson (volante ex-São Paulo), Thiego (zagueiro ex-Figueirense), Maylson (meia ex-Criciúma), Caramelo (lateral ex-São Paulo), Gil (volante ex-Coritiba), William Barbio (atacante ex-Vasco), Vilson (zagueiro ex-Cruzeiro), Ananias (atcante ex-Sport), Elicarlos (volante ex-Cruzeiro) e Roger (atacante ex-São Paulo). Em contrapartida, saíram: Fabiano (Cruzeiro), Leandro (Palmeiras) e Ricardo Conceição (Paraná). No papel, sem dúvidas está com o melhor time do campeonato, porém as mudanças podem demorarem a vingar.


Ponto fraco: Desentrosamento. Com a chegada de muitos jogadores, a base de 2014 se desmanchou.

Ponto forte: O elenco. O técnico Eutrópio terá o melhor elenco do torneio, tendo peças de reposição e opções no banco para mudar o time durante o jogo.

Fique de Olho: Hyoran, atacante promissor.

Craque: Roger.


Criciúma: Mesmo caindo de divisão, o clube do sul do estado ainda está forte. Manteve quase todos os jovens jogadores do elenco, preferindo dispensar os medalhões que pouco estavam contribuindo. Dentre os mais experientes, Cleber Santana e Fabio Ferreira permanceram. Os reforços para a temporada foram: Danilo Tarracha (lateral ex-Vitória), Caleb (meia ex-São Caetano) e Luis Perea (atacante ex-Atlético Nacional).
Ponto fraco: Pouca experiência de alguns garotos e do técnico Luizinho Vieira.

Ponto forte: A juventude, o que torna o time veloz e disposto a alcançar objetivos. 

Fique de Olho: Roger Guedes, atcante muito veloz e habilidoso, mostrou sua qualidade logo na sua primeira oportunidade, fazendo uma jogada de craque, contra o Flamengo no Maracanã, na qual empatou o jogo para o Tigre.

Craque: Cleber Santana.


Figueirense: Apesar do ótimo segundo turno do time no Brasileirão 2014, o Figueirense perdeu poucos jogadores. Saíram do time titular os jogadores: Pablo (Cerezo Osaka), Marco Antônio (Al-Khor), Tiago Volpi (Querétaro) e Giovanni Augusto (Atlético Mineiro). Para seus lugares, chegaram: Fabinho (América-RN), Juninho (Palmeiras), Ricardinho (Criciúma) e Ferron (Sport). Juninho, o reforço mais "badalado", sofreu uma séria contusão, retornando aos gramados só em julho. Argel deverá adotar o mesmo sistema de jogo, tendo em vista que conseguiu mantêr os jogadores de sua preferência. O Figueira é outro forte candidato ao título.


Ponto fraco: A perda de Juninho, jogador que chegou com "status" de estrela do time e teve uma grave lesão.

Ponto forte: Entrosamento da base mantida de 2014.

Fique de Olho: Luan Polli, goleiro da base alvinegra que segue os passos de Volpi e tem tudo para brilhar.

Craque: Thiago Heleno.


Guarani de Palhoça: De volta à elite do futebol catarinense, após ficar com o vice da divisão especial, o Guarani manteve o professor Amaro Júnior no comando da equipe. Formado por jogadores jovens em sua maioria, teve poucos reforços, já que resolveu apostar mesmo na base. Os jogadores mais conhecidos são: Gustavo Santos (irmão de Marquinhos Santos), Fábio Fidélis (zagueiro ex-Avaí), Vanderson Stolk (zagueiro ex-Figueirense), Brenno Basso (meia ex-Avaí), Xipote (volante ex-Atlético de Ibirama), Hegon (meia ex-Avaí), Ildemar (meia ex-Avaí), Cristian (atacante ex-Avaí) e Felipe Oliveira (atacante ex-Figueirense).


Ponto fraco: Apostar em alguns jogadores que não deram certo em outras equipes catarinenses.

Ponto forte: O fato de ter mantido grande parte do elenco, tendo um bom entrosamento.

Fique de Olho: Daniel, zagueiro veloz e de muita força física.

Craque: Felipe Oliveira.


Inter de Lages: O Inter está de volta a elite catarinense. O time de Lages foi o campeão da segunda divisão e decidiu investir forte para permanecer na primeira. Chegaram os renomados Marcelinho Paraíba, Reinaldo (ex-Figueirense), Fernando Henrique (ex-Fluminense) e Diogo (ex-Fluminense e Figueirense), além de mais alguns jogadores jovens. As grandes perdas foram o zagueiro Rodrigo Milanez, o meia Athos e o atacantes Eydison. Mabília, ex-jogador que atuou por Criciúma e Figueirense, será o técnico do time da Serra, que ao meu ver será a grande surpresa da competição.


Ponto fraco: O desafio de fazer a garotada correr pelos veteranos Marcelinho e Reinaldo.

Ponto forte: A experiência de atletas que podem decidir a partida em um lance.

Fique de Olho: Cleylton, zagueiro que chegou emprestado do Grêmio.

Craque: Marcelinho Paraíba.


Joinville: O campeão da série B 2014, teve poucas mudanças no elenco. As principais foram as saídas de Edigar Júnio (Atlético Paranaense), Edson Ratinho (Mogi Mirim) e Everton (Fortaleza), e as chegadas de Rafael Costa (atacante ex-Ponte Preta), Bruno Furlan (atacante ex-Atlético Paranaense), Eduardo (meia ex-Fluminense) e Geandro (volante ex-Bragantino). O JEC é o time mais preparado do campeonato ao meu ver, pois melhorou o que já estava bom. Quem sabe em 2015 o Coelho quebre o Jejum de 13 anos sem conquitar a competição.


Ponto fraco: As laterais, vulneráveis defensivamente.

Ponto forte: São muitos. Primeiramente a moral: chega como o campeão da série B; a continuidade do bom trabalho de Maria; a manutenção do elenco de suscesso de 2014; reforços pontuais, como no caso de Rafael Costa, que chega para substituir Edigar Júnio.

Fique de Olho: Eduardo, meia que chegou do Ceará, jogador habilidoso.

Craque: Marcelo Costa.


Marcílio Dias: O "Marinheiro" chega com um elenco todo renovado, porém com alguns atletas que já vestiram a camisa do time em edições passadas do Campeonato Catarinense. Chegaram: Túlio Souza (meia ex-Botafogo), Soares (atacante ex-Figueirense), Ronaldo Capixaba (atacante ex-Avaí), Athos (meia ex-Chapecoense), Thoni (lateral ex-Inter de Lages), Rogélio (zagueiro ex-Criciúma), Leanderson (volante ex-Grêmio) e Schwenck (atacante ex-Figueirense). Quem comanda a equipe é Guilherme Macuglia.


Ponto fraco: O time tem muitos jogadores veteranos.

Ponto forte: Conta com um técnico conhecedor do campeonato.

Fique de Olho: Valério

Craque: Schwenck.


Metropolitano: Pingo será o comandante do time de Blumenau neste ano. O treinador que já passou por Juventus, Brusque e Avaí é, junto a Mariano Trípodi (atacante ex-Santos) e Carlos Alberto (volante ex-Figueirense), a grande estrela do time. Alguns jogadores que farão parte do elenco são: Neris (zagueiro ex-Avaí), Rodney (volante ex-Icasa) e Alexandre Carvalho (ex-Brusque). É um dos times com a menor média de idade da competição.


Ponto fraco: Pouca maturidade de grande parte do elenco.

Ponto forte: A posse da bola, virtude dos times treinados por Pingo.

Fique de Olho: Patrick, atacante forte e veloz.

Craque: Mariano Trípodi.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: