Seleção da Décima Segunda Rodada do Brasileirão 2014

1 - Aranha (Santos): Deu grande segurança a equipe no segundo tempo, operando verdadeiros milagres. Nota: 8,5.

2 -  Wellington Silva (Internacional): Muita valente e bem na marcação, sem deixar espaços para o lado esquerdo baiano. Foi premiado com um gol, após falha de Lomba. Nota: 8.

3 - Dedé (Cruzeiro): Voltando a equipe, foi o zagueirão da equipe na partida. Bem nos desarmes e nos cortes. Marcou o terceiro gol do time em uma bela cabeçada. Nota: 8,5.

4 - Durval (Sport): Já vinha fazendo uma atuação impecável no sistema defensivo, levando a melhor e brecando o ataque do Galo. Para finalizar, marcou um gol de muita raça. Nota: 9.

5 - Amaral (Goiás): Raçudo e guerreiro como sempre na marcação. Decidiu o jogo ao marcar o primeiro gol de cabeça e escorando para Bruno Mineiro definir. Nota: 9.

6 - Euller (Vitória): Fez grande jogada, que originou no primeiro gol da equipe. Apareceu bem no setor ofensivo, levando perigo. Na defesa, não comprometeu. Nota: 7,5.

7 - Zé Love (Coritiba): Participou muito no jogo, ajudando Alex a criar jogadas. Além de tudo, marcou dois gols, contribuindo intensamente para a grandiosa vitória em Porto Alegre. Nota: 8,5.

8 - Cícero (Fluminense): Junto com Conca, mandou no jogo, participando de todos os gols e comandando a meia cancha. Deu passe para o gol de Jean, lançou Sóbis em velocidade no lance em que o atacante sofreu o penalti e por fim, marcou o terceiro gol do tricolor. Nota: 9.

9 - Caio (Vitória): Decidiu a partida ao marcar dois gols e mostrar oportunismo. Nota: 8,5.

10 - Éverton Rbeiro (Cruzeiro): Deu show distribuindo a bola e coordenando a meia cancha. Procurou muito o jogo e deu belas assistências a gols. Nota: 9.

11 - Ricardo Goulart (Cruzeiro): Como de costume, comandou as opções ofensivas da Raposa. Movimentou-se intensamente, sofreu o penalti que originou o primeiro gol e marcou o seu. Nota: 8,5.

TÉCNICO: Cristóvão Borges (Fluminense): Os talentosos volantes tricolores precisaram marcar muito no meio de campo, tendo o auxílio dos laterais e zagueiros. Bem fechadinho do meio para trás, evitando as velozes investidas do Furacão, fez com que os meias chegassem finalizando na frente, como foi no caso dos gols de Jean e Cícero. Nota: 8,5.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: