Seleção da Vigésima TerceIra Rodada do Brasileirão

1 - Cassio (Corinthians) - Salvou o time da derrota. Fez duas grandes defesas à queima-roupa no primeiro tempo. No segundo tempo trabalhou pouco, até o chute colocado de Júlio Baptista no final do jogo. Nota: 8,5.

2 - Derley (Náutico) - Improvisado na posição, foi muito bem nos desarmes e passes. Nota: 7.

3 - Gum (Fluminense) - Foi muito frio na finalização do gol marcado. Na defesa fez o "feijão com arroz" e não comprometeu. Nota: 8.

4 - Rodrigo (Goiás) - Da mesma forma como foi no Morumbi, o ex zagueiro do São Paulo fez uma partidaça. Não deu espaços a Luis Fabiano e Aloísio, e ganhou todas as bolas disputadas pelo alto. Além da grande partida na defesa, fez o gol da vitória em cobrança de falta. Nota: 9.

5 - Gil (Coritiba) - Foi excelente na marcação. Correu durante os 90 minutos com muita intensidade e até auxiliou o time com a criação de jogadas. Nota: 7,5

6 - Igor (Corinthians) - Garoto mostrou sua habilidade com bons dribles, incomodando a defesa do Cruzeiro. Na defesa não comprometeu. Nota: 7,5.

7 - Diogo (Portuguesa) - Voltou ao time, após cumprir suspensão, no mesmo ritmo que estava antes. Puxou contra-ataques, driblou, arriscou chutes (um acertou a trave), brigou muito e ainda deu o passe do gol de Wanderson. Nota: 8.

8 - Paulo Baier (Atlético Paranaense) - Cérebro do time, fez o gol da vitória e deu muito trabalho a defesa da Macaca. Mesmo com a idade avançada está bem fisicamente. Nota: 8. 

9 - Fernandão (Bahia) - Foi muito raçudo, brigando com a defesa do Botafogo todo o jogo. Fez o gol de empate do Bahia em uma bela cabeçada. Nota: 8.

10 - Ronaldinho (Atlético Mineiro) - Fez uma boa partida. No primeiro gol deu um passe espetacular para o gol de Fernandinho. No segundo bateu uma falta venenosa, desviada pelo jogador do Vasco. Nota: 8,5.

11 - Thiago Ribeiro (Santos) - Correu bastante, como sempre, chamou jogo e se movimentou, apesar de não criar muitas oportunidades de perigo, fez um gol de oportunismo. Nota: 7,5.

TÉCINCO: Guto Ferreira (Portuguesa) -  Não que seja a tarefa mais difícil do mundo marcar Leandro Damião com a má fase e a falta de sorte que está, mas se trata de um grande jogador, e tanto ele como as principais peças do Colorado, foram muito bem marcadas. Explorou os contra-ataques para cima da defesa "velha" do Internacional, método em que saiu o gol da vitória. Nota: 8,5.

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: